Mensagens

A mostrar mensagens de agosto, 2008

Acessibilidades no Bairro Novo

Imagem
Rua Miguel Bombarda, Figueira da Foz, 2008 Os peões são o maior grupo, mas é o mais fraco entre todos os participantes no tráfego: quase todos nós somos peões em determinadas alturas. Um terço dos nossos movimentos de rotina são efectuados a pé e, além disso, qualquer deslocação motorizada começa e termina pelo nosso pé. ACA-M

Eu, figueirense, acuso !

Imagem
Texto publicado no Jornal de Notícias de 29.08.2008 Foto da notícia retirada do blog "Outra Margem"

Ciclovias na Figueira da Foz

Imagem
A procura de alternativas ao automóvel já começou. Há quem assuma a saúde, a sua e a dos outros, em detrimento do conforto automóvel. Mais, ao contrário do que se afirma correntemente, a pedonalização beneficia o comércio tradicional. Lar mais aqui Menos Carros, Menos Pessoas? Volto ao tema do disparatado argumento que afirma que a redução da mobilidade automóvel na cidade acaba por afastar as pessoas, os moradores e o comércio. Um relatório do Transportation Alternatives (via) refere algumas consequências de condicionamentos ao trânsito: Residential property values: 85% reduction in traffic translated to 5% increase after one year and • 30% after 13 years (Bagby) [aumento em comparação com outros locais] Streets with no through traffic command 9% price premium (Hughes) Quiet streets command 8-10% premium over noisy streets (Nelson) Community gardens boost nearby apartment prices 7% (Voicu and Been) Retail sales: Pedestrianization boosts sales 10-25% in first year (University of O

AECOPS

DO SITE DA AECCOPS O Inquérito Semestral da Primavera de 2008 aos Prazos de Recebimento das Empresas de Obras Públicas, elaborado pela Federação Portuguesa da Indústria de Construção e Obras Públicas (FEPICOP), revela que a maioria das autarquias e empresas municipais continua a pagar as suas facturas com atraso excessivo e que houve mesmo um aumento do prazo médio de recebimento, que é agora de 7,2 meses (216 dias), quando o prazo legal é de 2 meses. De acordo com os dados apurados, 52 autarquias (36%) cumprem os seus compromissos financeiros num prazo inferior a 3 meses. As câmaras de Aguiar da Beira, Amarante, Arouca, Constância, Murtosa, Penedono, Ponte de Lima, São Brás de Alportel, Vila Flor e Vinhais são aquelas que apresentam o melhor prazo médio de pagamento para com as empresas de construção. No grupo dos maiores incumpridores, os que liquidam as suas dívidas a mais de um ano, constituído por 16 municípios (11% do total apurado), incluem-se uma dezena que pagam em média

Duarte Silva e as infra estruturas

Imagem
Cenário: Agosto de 2008, Av. do Brasil, zona nobre da cidade da Figueira da Foz. Quando tenciona o Sr. Presidente Duarte Silva prestar atenção às infra-estruturas base do concelho? Quando é que exigem dos construtores civis o cumprimento das normas de acessibilidade e segurança? Porque é que um simples passeio (e o acesso a um frequentado bar) estão neste lastimável estado? O que pensam os turistas e quem nos visita? Não será importante a segurança dos peões e em particular das crianças?

Duarte Silva - Notícia no SOL

ler aqui Processo do Vale do Galante Câmara da Figueira paga 200 mil euros a advogados Por Margarida Davim A Câmara da Figueira da Foz já pagou mais de 200 mil euros aos juristas Mário Esteves de Oliveira e Rodrigo Esteves de Oliveira, no âmbito do processo do Galante. Redacção de comunicados de imprensa e de deliberações de Câmara fazem parte dos serviços pagos. Rodrigo Esteves de Oliveira é agora advogado no processo-crime em que Duarte Silva é arguido

Desperdício de Água Diário

Imagem
Mesmo em frente à Câmara, diariamente são desperdiçados milhares de litros de água potável, paga com os impostos de todos nós. Porquê?

O Urbanismo na Figueira da Foz

Imagem
Texto e fotografias recebidas de um munícipe da Figueira da Foz devidamente identificado. Obra à Português Sou residente em Tavarede. Na Rua dos Motas (que fica ao lado da minha casa), está a ser feita uma vivenda em nome de XXXXX, com o processo nºXXX. "..." um projecto de 4 pisos e com entrada na R.U. (Rodovia Urbana). Foi recusado pela Câmara. Mais tarde apresentou outro projecto com menos um piso e com a entrada na Rua dos Motas que foi aceite. O que é que ele "..." fez? Fez o primeiro projecto[o dos 4 pisos]. Por essa razão está deslocada mais para a R.U. Esta construção está a ser feita num terreno encostado ao meu. Estamos os dois numa área de protecção à R.U., como é possível ele estar a cerca de 5 metros da zona de estrada quando a lei é de 20 metros? Este “masmarralho” que está a ser feito à minha frente, tem uma varanda e três janelas viradas para o meu quintal onde perco toda a privacidade. No dia 4 de Junho de 2007, apresentei uma queixa na Câmara

DISCUSSÃO PÚBLICA DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA FIGUEIRA DA FOZ : FRAUDE POLÍTICA À VISTA!

Na reunião de Câmara do passado dia 11, o Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Duarte Silva, pretendia que o Executivo votasse a abertura da discussão pública do Plano de Urbanização (P.U.). Os vereadores do PS solicitaram ao presidente que retirasse este ponto da agenda sob pena de não o poderem votar. O Presidente não o quis fazer, obrigando os Vereadores socialistas a retirarem-se da reunião. Porque razão não se sentiam os Vereadores socialistas habilitados a votar a abertura da discussão pública do Plano de Urbanização? Em primeiro lugar , por não estarem na posse de todos os documentos inerentes à matéria; assim, os Vereadores não tinham os pareceres do Instituto Portuário, do Instituto do Desporto, da Estradas de Portugal, do Instituto da Mobilidade, entre outros. Não tiveram acesso às actas das comissões de acompanhamento da revisão do documento. Não conhecem a fundamentação da Câmara para não ter procedido à avaliação de impacto ambiental das alterações propostos

Os cartazes da Corrida de Touros da RDP - Casa do Pessoal

Imagem
Ano após ano somos invadidos pelos cartazes das touradas. Não respeitam o Regulamento camarário relativo à Publicidade e Propaganda; não respeitam a estética da cidade; não respeitam o nosso direito a paredes limpas e sóbrias; degradam-nos a cidade; fazem concorrência às empresas que usam e pagam os outdoors ou outros meios legais de publicidade; Ano após ano, a Câmara Municipal da Figueira da Foz mostra-se incapaz de lidar com estas infracções e punir os agentes que nada respeitam. Nada mudará com este Executivo camarário. Os cartazes vão ficar ali à vista de todos durante mais um ano, até à próxima tourada. E em 2009 irá repetir-se esta situação.

Abate de Sobreiros, Mais um Atentado ao Ordenamento e à Biodiversidade - denúnica a Quercus

1200 sobreiros em risco de destruição pela mega-urbanização - Nova Setúbal A Câmara Municipal de Setúbal (CMS) em associação com a PLURIPAR e outros empreendedores promoveu nos últimos anos o desenvolvimento de um Plano de Pormenor que envolve a viabilização de uma mega-urbanização, de cerca de 7.500 apartamentos, para cerca de trinta mil habitantes, a nascente da cidade de Setúbal, vulgarmente conhecida por “Nova Setúbal”. "...." Razões políticas e de ordenamento do território - Não tem sentido em termos de ordenamento do território e numa lógica de desenvolvimento sustentável um crescimento periférico tão elevado (de cerca de 30%) da cidade de Setúbal, cujo centro histórico se encontra cada vez mais abandonado e inseguro; é certo que uma eventual expansão da cidade se deverá fazer para Este, mas não com esta dimensão; - A área em causa tem características paisagísticas únicas, nomeadamente a presença de importantes manchas de sobreiros, que não merecem ser destruídas co

Licença Ambiental - Alqueidão

Acesso à Informação e Participação do Público no Âmbito do Procedimento de Licença Ambiental Está em fase de licenciamento uma unidade de criação intensiva de aves (40.000) na freguesia do Alqueidão. Consulta do Edital aqui