Mensagens

A mostrar mensagens de agosto, 2007

Desleixo em Época Alta

Imagem
Quem percorre a cidade a pé, vê muito mais, sente melhor e surpreende-se com imagens próprias de uma cidade pouco cuidada. Nas Urbanizações da ex-Mata do Sotto Mayor há muito lixo no chão, árvores tombadas (ver foto) desde há meses e um ar de desleixo. A Câmara Municipal, e as empresas sub-contratadas só lá vão para cortar a relva e regar. Operações de cosmética. O resto fica como está: degradado. O que pensaram os forasteiros que nos visitam ? Quem somos ? Para onde vamos assim ? Qualidade ? Turismo ? Responsáveis pela Câmara Municipal da Figueira da Foz façam-nos a todos um favor: visitem a cidade com um bloco de notas, tentem melhorar a imagem desta cidade.

O último rio selvagem em Portugal

"A Plataforma lembra que a obra vai inundar cerca de metade do curso do Sabor, o último rio sem barragens do país, e destruir, de forma irreversível, um "valor ecológico único e insubstituível" a nível da fauna e flora, reconhecido pela União Europeia e com 2,5 milhões de anos. Além disso, salienta que a electricidade produzida será pouco significativa para as necessidades energéticas nacionais." in Público de hoje Com tanto sol em Portugal, falta de areia nas praias, desperdícios de energia brutais (ainda hoje entrei no Café e tinha o ar condicionado ligado no máximo com a porta aberta) e ....acaba-se com a nossa maior riqueza: um património natural soberbo. O rio Sabor será mais um vítima da política sem valores que temos. Valores entendidos enquanto medida do nosso apreço pelo belo, enquanto harmonia entre nós, humanos, e todas as outras espécies. Termina-se com o selvagem, em nome de uma pseudo-felicidade baseada em índices de consumo de energia.

Bio-escravatura

Imagem
A bio-escravatura ou as ameaças da apropriação monopolística da vida humana Texto de autoria de Annelore Hoffens Wenzem, publicado na edição castelhana de Abril-Maio e Junho de 2004 da revista The Ecologist. Retirado de: http://pimentanegra.blogspot.com/ - Consultar: http://www.etcgroup.org/en/ Hoje um agricultor, dono de uma plantação de milho, pode decidir regar ou não as suas culturas simplesmente recorrendo ao seu correio electrónico, pois a mesma plantação, através de um sistema de sensores remotos e de telefone celular, pode enviar-lhe os sinais vitais do que lhe está a acontecer. Sentado no sofá da sua casa esse agricultor poderá activar i sistema de risco automático através do seu computador caso o sinal recebido no seu e-mail indicar a carência de água. O mesmo agricultor, caso queira proteger as suas plantações de uma possível contaminação genética procedente de qualquer outra cultura vizinha de milho, pode também usar semente

Mais sobre os OGM

As pessoas que têm expresso repúdio pelos jovens do Verde Eufémia, comparando-os até a grupos terroristas (!!??). limitam-se a isso. Raramente entram no debate dos OGM, queremos comer OGM ? queremos ser cobaias de uma experiência ? Ninguém sabe muito bem quais os efeitos dos OGM no corpo humano. Ainda nem sequer houve tempo para sabermos o que acontece com os animais quando sujeitos a uma alimentação OGM. Claude Bourguignon microbiologista dos solos dizia já em 2006 que 90% da actividade biológica dos solos europeus foi destruída pela agricultura intensiva [2, 3]. A França é a campeã europeia de uso de pesticidas e o 3° produtor destes produtos a nível mundial. Mesmo sem apoios do estado, muitos agricultores franceses viraram-se para a agricultura biológica porque os seus solos não produziam mais nada de forma natural. Mas tiveram muitas dificuldades porque durante o período de reconversão imposto pelo caderno de encargos AB e que é também o período de ajudar o solo a se restabelecer

Geneticamente Modificados

Aqui vai uma opinião alternativa às dominantes na Blogosfera e nos Diários Nacionais. J.Vaz Transcrita do http://polegarverde.blogspot.com/ Terça-feira, Agosto 21, 2007 Já não se podem deixar os miúdos sozinhos... (imagem descaradamente palmada ao abrupto.blogspot.com) No minuto em que cheguei a casa, ainda de havaianas e cheia de sal no cabelo, recebi um telefonema da minha mãe a dizer "Liga rapidamente a TV, na SIC". Estava a dar a 1ª reportagem sobre o movimento de cidadãos que destruiu cerca de um hectare de uma plantação de (50 hectares de) milho OGM no Algarve. O meu primeiro pensamento foi "lá vai o meu trabalho andar para trás". Como bióloga que trabalha no sentido de integrar a espécie humana na natureza sem que existam desequilíbrios prejudiciais às 2 partes, geralmente as manifestações dos "ambientalistas" só vêm descredibilizar a imagem do meu trabalho. Quem é que liga aos maluquinhos que andam a salvar baleias? Na verdade, no

Acidentes

Acidentes Retirei este filme do blog do Amicus Ficaria. Acredito que só com imagens chocantes como estas poderemos sensibilizar os condutores. Um lapso, uma fracção do acaso podem causar, e causam, tragédias. Mesmo aqui no burgo nota-se em muitos condutores, jovens e menos jovens, um total desdém pelas regras de trânsito mais elementares. Acelera-se. Muito. Em vias sem passeios, sem escapatórias, sem visibilidade. Espanto-me até por não haver mais acidentes e mais graves.

Raposa no Centro da Cidade de Viseu

http://dn.sapo.pt/2007/07/05/cidades/matagal_viseu_ajuda_raposa_pilhagali.html A mim pessoalmente choca-me que um animal como a raposa não possa coexistir num matagal do centro da cidade. Qual será a razão que leva as pessoas a exterminar o animal (e os seus filhotes ?) ? Sou da opinião que devemos combater esta triste ideia de que raposas, e animais semelhantes, não podem viver nos interstícios semi-selvagens da cidade. Aliás as raposas têm o condão de eliminar os roedores aí existentes, toda uma vantagem ambiental. Muito me agradaria que os parques e jardins das nossas cidades fossem mais vivos e permitissem que aí prosperassem mais espécies animais, para além das pombas (que na Figueira dada a sobrealimentação são mais que o desejável), patos e pardais (e nalguns casos, ratos e ratazanas). No caso de Viseu, apetece-me dizer: deixem a pobre da raposa viver ! E podem contar comigo para pagar uma galinha à proprietária do galinheiro mais próximo, a título de indemnização.

Corrida RDP na Figueira da Foz

A empresa que publicita a Corrida RDP na Figueira da Foz, conseguiu em poucos dias a proeza de tornar ubíqua a publicidade à dita. Para qualquer lado que se olhe, vemos um cartaz, um folheto, um reclamo com ...Corrida da RDP 2007. Fachadas inteiras de casas degradadas foram tapadas com publicidade à Corrida. Nem os pilares dos viadutos da Auto-Estrada A14 Figueira-Coimbra ficaram imunes. Neste particular a empresa de publicidade comete uma séria ilegalidade: paragem na Auto-Estrada sem motivo justificativo. A Corrida RDP é um evento singular. Um dia num ano. Nós que vivemos por cá vamos ter que aturar a publicidade durante meses...uma falta de civismo gritante. Fora a poluição causada pelas faixas de plástico que se desfazem, degradando-se em mil pedaços invisíveis e misturando-se na terra. Poluição. A Câmara Municipal da Figueira da Foz, como já é hábito, deverá pactuar com este estado de coisas. Lamentável.

cadela descartável

Imagem
Esta adorável cadela foi deixada à sua sorte na nossa rua. Segundo a vizinha do lado, o caçador que a abandonou "achava que a cadela não servia para a caça". A pobre ficou assim, de repente, sem abrigo, sem afecto e sem comida. Agora está no nosso terraço. in Público hoje Número de cães abandonados não tem parado de aumentar Em Portugal os cães estão a transformar-se num bem descartável 14.08.2007 - 13h42 Clara Viana Entre os voluntários das associações de defesa dos animais, a apreensão é total. Apesar de todas as campanhas já realizadas, dos apelos sem conta, o número de cães abandonados está a aumentar. Sandra Cardoso, da SOS Animal, descreve assim a situação: "O abandono explodiu este ano". A tendência de subida começou a esboçar-se em 2006 e não parou mais. "Neste momento, não há hipótese de colocar animais em lado nenhum. Todos os cani

Excesso de Água

Imagem
EXCESSO DE ÁGUA EM AGOSTO (fotos do autor, Agosto de 2007) Foto: Oliveira em poça de água Local: Jardim Municipal da Figueira da Foz O Jardim Municipal da nossa cidade sofre de excesso de rega. Água com fartura. Regas diárias, faça chuva ou sol. As árvores começam a absorver a água, ficam húmidas por dentro e por fora. Na primeira fotografia acima publicada vê-se ainda uma poça de água à volta de uma jovem oliveira. Como se sabe é uma espécie adaptada ao nosso clima, e não está preparada para tanta água. A incúria das entidades, e a competência técnica na gestão dos Espaços Verdes custa milhares de euros aos contribuintes, até quando prevalecerá a iliteracia ecológica dos responsáveis camarários ?

Falsas Impressões - Comentário ao Quinto Poder de Saraiva Santos

Muçulmanos em Munique Vivi na Alemanha durante 6 anos. Trabalhei na Turquia 3 meses numa remota cidade da Anatólia em 1995. No Verão quando visitava Munique e outras cidades muito turísticas, achava estranho o facto de se verem muitos mais árabes (não confundir com turcos nem persas) nas ruas do que o normal. Daqueles árabes típicos dos filmes, da Arábia, eles com turbantes, elas com o véu islâmico, o Shador. Eram simples turistas que vinham à procura do cosmopolitismo europeu, compravam imenso nas melhores lojas. No blog de Saraiva Santos, o Quinto Poder , o autor insurge-se com esta invasão do fascismo islâmico, diz que viu "elevado número de jovens com tapadas da cabeça aos pés" em Marienplatz, Munique. Situação muito preocupante segundo Saraiva Santos. Diga-se que desde 1960 que existe uma Mesquita em Munique. Está em projecto uma segunda. E, depois faz uma grande confusão com a comunidade turca. Aquilo que Saraiva Santos ignora é que os turcos são de todos os me

Férias no Alentejo - ainda quase intocado

O merecido descanso nas terras a sul do Tejo. Até breve.