Mensagens

A mostrar mensagens de outubro, 2009

Mudança

Imagem
"ON" Presidente Ataíde das Neves vamos ao trabalho! Desejo-lhe saúde, persistência e tal política séria, sem populismos, mas com a necessária firmeza para mudar o concelho !

Democracia local

As negociações entre partidos e movimentos geram comentários, posts, artigos e até demissões...Tudo normal. Estamos numa democracia. As pessoas dialogam, alguns sabem partilhar o poder, convivem bem com a oposição, muitos colocam os interesses do concelho à frente dos seus. Mas, também há quem não saiba dialogar, incapaz de aceitar a mudança e mantendo-se arrogante perante que lhe faz frente. Penso que o pior são os falsos consensos, o populismo e a vontade de agradar a todos. Não é possível. Há que seguir uma linha, ter um rumo (eu sei...) e decidir. Felicidades ao futuro presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, que saiba tomar as decisões mais acertadas em prol do desenvolvimento do concelho.

Jorge Wemans e a programação na RTP2

Há mistérios insondáveis na programação da RTP2. Hoje somos prendados com dois documentários seguidos, das 23h30 às 02h30, da realidade crua do Afeganistão, aos trabalhadores portugueses no País Basco. Bons momentos de televisão. Mas, em horário tardio e em dose dupla. Nos restantes dias da semana temos que aturar durante longas horas a pastilha da série americana. Hoje foi a vez da soap opera "Sobrenatural", dos intermináveis e muito aborrecidos National Geographic (muitos repetidos...) e de outra série americana às 20h ("Friends ?") . De segunda a sexta a RTP2 oferece sempre as mesas doses às mesmas horas: 20h30 série americana; 21h série americana; 22h Jornal das 2; 22h30 série americana (quase sempre mete sexo, , hospitais, drogas e violência...). Não passamos disto no único canal alternativo do espectro em canal aberto. Gastam-se mais de 20 milhões de euros, para fomentar aquilo que o cabo (AXN, Fox, N. Geographic...) já transmitem ? Porque não se exibem serie

Um ovo em São Tomé

Imagem
Um ovo em São Tomé (STP) custa muito dinheiro. São 5.000 dobras, cerca de 25 cêntimos. Os são-tomenses ganham , em média, 900.000 dobras i.e. 45 euros. Mas queixam-se pouco, não se fala de fome nem de "tristezas". Por lá, ri-se muito. Convive-se bastante. Como eles dizem, e bem, "leve leve", vai-se vivendo, dias após dia, sem pensar demasiado no futuro, sem exigências desmesuradas. Gostei muito de São Tomé, e do Príncipe também. A Natureza é fantástica...paisagens deslumbrantes, mesmo na cidade, mesmo ali ao lado, sem molhes nem construções foleiras. Os problemas sentem-se na falta de condições hospitalares, a ausências de profissionais qualificados, o lixo por recolher, um certo neocolonialismo branco, as falhas constantes de energia, a corrupção e incapacidade institucional (mas isto temos nós por cá em doses q.b.) ... Seja como for anseio pelo regresso ao arquipélago, e beber uma "Nacional" ao princípio da noite (24 º C) no café "Pirata" co

O Fundo do Mar

Entra em acção em www.greenpeace.pt

Pare, Escute, Olhe

Parabéns ao Jorge Pelicano. Espero ansiosamente que o filme venha a ser exibido na Figueira da Foz.

Privatização dos Serviços e Aumento do Preço Final da Água

Defendo que os bens e serviços essenciais (por ex.: água, electricidade, resíduos, gás...etc.) não devem ser subsidiados. Os utilizadores devem pagar o custo real, só assim se racionalizam consumos e se distingue quem poupa e é eficaz no seu uso, e quem gasta desalmadamente. No entanto, será útil reflectir sobre a privatização e concessão da exploração das águas a empresas privadas. No topo dos sistemas com água mais cara estão entidades privadas. Não seria suposto a privatização aumentar a eficiência da empresa e diminuir o preço final ? Não é esse o objectivo da privatização ? Poucos estudos foram realizados sobre este tema em Portugal, mas seria útil analisar a questão, verificando-se se a privatização dos serviços de águas resultou em benefício da comunidade, ou serviu mais para gerar lucros a empresas e consórcios privados. Houve aumentos de preços injustificados ? A este respeito note-se que Paris "recomunalizou" (retirando-o à VEOLIA, uma das maiores empresas do mundo

Comboios Alfa

Imagem
Os comboios portugueses mais modernos (ALFA) não têm espaços de convívio social. O bar é minúsculo, não há janelas, a paisagem não conta, ficamos todos de pé, apertados e sem graça. Os europeus deveriam aprender com os americanos a fazer bares e salas de convívio nos comboios. O comboio não deve ser um avião, mas sim um meio de transporte com espaço e tempo para beber um café e apreciar a paisagem em amena conversa com os demais passageiros.

Enviado especial da RDP ao sorteio...

Retirado do blog Aliastu de Rui Fonseca ENVIADO ESPECIAL Senhor Provedor do Ouvinte, Também faço parte daqueles que entendem que a RDP dedica ao futebol mais tempo de antena do que seria normal se o futebol não fosse mais importante para os portugueses do que qualquer outra actividade económica, cultural, política, religiosa. Como é, e a RDP também incentiva a inclinação, percebe-se o destaque mas contesto o exagero. Vem isto a propósito do que ouvi esta manhã, a propósito da deslocação a Zurique de um "enviado especial" para assistir ao sorteio do play-off com a equipa portuguesa metida no primeiro pote à espera do adversário no segundo. Coisa para 15 minutos, se tanto, adiantava o locutor de serviço. E a minha questão é esta: O que é que vai um "enviado especial" fazer a Zurique que não possa fazer em Lisboa? Com a transmissão feita em directo por tantos canais de televisão que especialidade tem o enviado para justificar os custos de deslocação envolvidos? C

Pare, Escute e Olhe

Imagem
Parabéns ao figueirense Jorge Pelicano pela ousadia e capacidade de nos trazer "outros temas" à tela. Um filme a não perder. Esperemos que o CAE exiba o filme nos próximos tempos.

Dias de Verão _ Outubro 2009

Imagem

Ramalho Eanes na Figueira da Foz

Segundo o jornal as beiras de hoje o ex-Presidente Ramalho Eanes está preocupado, e bem, com dívida. "..." Preocupante e perturbador é o nível do endividamento externo do país, segundo o antigo chefe de Estado: “esta situação é de todo intolerável. Não podemos gastar o que não temos”. "..." Contudo, Ramalho Eanes apoiou a candidatura do PSD na Figueira, ou seja, incentivou alguém que fez exactamente isso: gastou muito mais do que podia. Os figueirenses, mais consequentes do que Ramalho Eanes, actuaram em conformidade. A energia nuclear tornou-se a panaceia para a resolução dos problemas energéticos do país. Mesmo quem não faz a mínima ideia de como funciona uma central nuclear, qual é eficiência do processo, quanto custa e que problemas efectivamente vai resolver, o que fazer aos resíduos radioactivos, assume-se como defensor deste tipo de energia. São poucos os que apelam à racionalização do consumo, e respectiva redução. Pelo contrário, e especialmente a direit

Paintshop - Surf - Artigo sobre a Figueira noThe Guardian

Neste artigo no prestigiado jornal inglês The Guardian, faz-se a exaltação da Figueira enquanto cidade do surf. Refere-se também a primeira "low cost hostel" da cidade, a Paintshop, situada bem no coração de São Julião.

RDP - sem serviço público

Uma discussão patética preenche a manhã da Antena 1 , serviço público de rádio. Tudo gira à volta de um jogo entre Portugal e Malta. O tema mais importante do dia....Especula-se, dizem-se muitas baboseiras, futurologia a rodos,...um vazio imenso. Desligo o rádio indignado. Assim não vale a pena, isto não é serviço público.

"Autarquias sem ambição"

O texto de Leonel Moura, publicado aqui chama a atenção para aspectos importantes que visam melhorar a qualidade da acção autárquica. Cito algumas passagens: "...." Houve um tempo em que se defendia que era de evitar a todo o custo a concentração de pessoas nas cidades e que seria melhor mantê-las no campo ou em periferias. Isso conduziu ao abandono dos centros urbanos e aos desastres suburbanos. Hoje percebe-se que essa opção era profundamente errada. Uma elevada densidade populacional é favorável à qualidade de vida, à liberdade, à criatividade e ao desenvolvimento económico. Por isso, muitas cidades, em particular na Europa, têm criado programas para repovoar os centros. O que tem aumentado a sua competitividade e gerado dinâmicas em torno das actividades ligadas às chamadas "indústrias criativas", as quais são hoje uma componente essencial de uma economia assente nas novas tecnologias e na inovação. "...." "..." Ao invés de pretenderem imita

Reunião de Câmara - a última - e o ruído

Hoje tivemos a última reunião de Câmara. Duarte Silva teve que ouvir o seu ex-vice-presidente durante longos minutos. Paulo Pereira Coelho "malhou" forte na personalidade do actual Presidente, sem deixar de atacar com igual força o PSD local. Poupou José Elísio. Este por sua vez declarou que a derrota não era sua. Claro. José Elísio nem sequer apoiou Duarte Silva durante 8 anos. Não, José Elísio não foi Vereador do Ambiente. Foi um outro José Elísio, aquele que ali estava repetiu a dose e atacou Duarte Silva. Constrangedor q.b. Lídio Lopes "salvou a pele", ele a vítima de um quase assassinato político, ele que vai voltar aos velhos e gloriosos dias da oposição. Não defendeu Duarte Silva. A única que se prontificou a defender o ainda presidente foi Teresa Machado, enaltecendo "o homem honesto e trabalhador". Duarte Silva foi lacónico, desejando felicidades a todos os presentes e ao partido socialista. A bancada socialista conteve-se. Não atacou muito. Mais

O fardo

Imagem
O próximo Presidente da Câmara terá que lidar com um estrangulamento financeiro sem precedentes.

Venceu o PS

O grande vencedor da noite eleitoral, na Figueira da Foz, foi o Partido Socialista ao obter 38% dos votos. O PSD perdeu quase 50% dos votos, abaixo dos 10.000 votos. O movimento 100% conseguiu mais de 6.500 votos, logo conquistando dois vereadores. A CDU perdeu quase 1.000 votos, e ainda ficou com menos um lugar na Assembleia Municipal. Dupla derrota. O BE continuo a revelar dificuldades na implantação a nível local, mantendo o mesmo número de votos, igualando 2005.

Ventos de Mudança

Hoje irá mudar a composição do executivo camarário na Figueira da Foz. Espero que seja um dia histórico,o fim de uma era de despesismo e descontrolo. Confesso uma certa ansiedade pessoal, apesar de confiar que os figueirenses saberão votar em quem os poderá liderar na necessária mudança de políticas locais.

Dia 11 de Outubro - Eleições Locais

As promessas por cumprir de Duarte Silva A dívida da Câmara era, em 2001, quando Duarte Silva iniciou o mandato, de 15 milhões de euros e é hoje de quase 60 milhões, quadriplicou! A dívida da Câmara, associada à das empresas municipais Figueira Domus e Figueira Grande Turismo ascende aos 80 milhões de euros! Esta factura a pagar representa 3.555 euros por cada família que vive no concelho. Os impostos cobrados aos figueirenses sustentam mais de 80% da actividade da câmara! As receitas do investimento realizado pela Câmara eram, em 2001, de quase 30 milhões de euros e são hoje quase nulas! Dezenas de obras são prometidas mas nunca passam do papel! • No Paião (PSD) em 18 obras prometidas, realizaram-se 3! • Em Santana (PSD) foram prometidas 16 obras e só se fizeram 3! • O parque desportivo de Buarcos está num impasse há 5 anos! O polidesportivo dos Vais, o campo de futebol de Buarcos, o circuito fluvial do Mondego e o gimnodesportivo da Madalena em Maiorca constam como promessas

Mais impostos com o PSD de Duarte Silva

"António Tavares comparou o rácio de impostos directos versus população no ano de 2005 que foi de 81,00 € e que actualmente é de 116,50 € , referindo que houve uma subida face a 2005 de 44% . "..."esta situação significa não só que a dependência da Câmara Municipal face aos impostos directos é maior, mas significa também que a carga fiscal tem vindo a subir, sobretudo para quem paga os impostos locais, como é caso do Imposto Municipal sobre Imóveis [IMI] e o Imposto Municipal sobre Veículos, que são os impostos que têm sustentado a receita camarária." Acta da Reunião da CMFF de 21.09.2009 Com Duarte Silva os figueirenses pagam mais, e para quê?

O jornal de Duarte Silva, a campanha e a bajulação

A análise do "jornal" distribuído pela campanha do PSD, revela a pobreza do último mandato de Duarte Silva, e a apropriação indevida de obras que não responsabilidade directa da Câmara. Alguns exemplos: - as obras da página 3 foram realizadas, ou iniciadas, no primeira mandato, até 2005 - a ETAR do Bom Sucesso, foi obra da Águas da Figueira Mais, os recentes apoios "incondicionais" a Duarte Silva são de pessoas que não vivem na Figueira. Estão por fora da realidade da Câmara Municipal da Figueira da Foz. Infelizmente, Marçal Grilo, Paulo Rangel, Marcelo Rebelo de Sousa, Ramalho Eanes prestam-se ao frete. Fazem uma bajulação do "Tony" sem invocar a acção política, a obra, as finanças locais, as estradas esburacadas, o estado lastimoso das Escolas de responsabilidade camarária, o desperdício de recursos nestes oito anos de Duarte Silva... Ao fazerem esta bajulação cega, prestam um mau serviço à comunidade, misturando amizade com acção política, apoiando di

Livro - "Figueira da Foz - Erros do Passado, Soluções para O Futuro"

Agradeço os comentários a todos os que leram o livro. As reacções têm sido positivas, as palavras de incentivo muitas e vindas de todos os quadrantes.

Reunião - Duarte Silva e os funcionários da Câmara

Duarte Silva convocou os funcionários da Câmara Municipal para uma reunião. Mais uma vez falou no radioso futuro, agora é que "vai cumprir" , agora é que os funcionários serão motivados e irão progredir nas carreiras.... Promessas que não cumpriu nos últimos mandatos, nada se resolveu no passado, tudo será melhor no futuro.

Uso de meios da Câmara para fins partidários

Segundo o blog Política de Choque, neste post os meios da Câmara Municipal estarão ao serviço da candidatura de Duarte Silva.

Debate dos Candidatos à Câmara Municipal da Figueira da Foz

A minha apreciação pessoal ao debate de ontem no Casino, perante uma plateia numerosa. Javier Vigo (MMS) - o candidato mais irreverente, na linguagem e forma de se expressar, proporcionou os momentos mais hilariantes. Joga bem com as palavras e trocadilhos, mas desconhece os temas principais da governação local,assumindo-o. Um outsider sem ambições a ser poder que muito incomodou Duarte Silva. Duarte Silva (PSD) - como ele próprio afirmou está há 20 anos na Câmara, mas continua a culpar sempre "os outros" (sem nunca concretizar) pela sua incapacidade em gerir a Figueira. Vitimiza-se constantemente, como se nunca tivesse tido poder para mudar o rumo que a Câmara leva. Durante o debate foi ultrapassado pelos acontecimentos, fugindo às questões concretas, nunca explicando como foi possível chegar a uma dívida de quase 90 milhões de euros (3.500 euros por família). Absolutamente constrangedor relativamente à revisão do PDM (datado de 1994): não fizemos porque as Leis não o per

As lealdades que se compram

..."o presidente da Câmara Municipal da Figueira, salientando que o papel do executivo camarário deve também passar por dar apoio às juntas de freguesia para as estratégias de desenvolvimento local. “E foi isso que aconteceu. Temos aqui um exemplo. Mas para se concretizar benfeitorias é fundamental que os presidentes de junta apresentem as suas iniciativas e trabalhem com lealdade com a câmara municipal”, comentou António Duarte Silva, concluindo o seu discurso. in as Beiras,06.10.2009 [em Ferreira-a-Nova em mais uma inauguração eleitoralista de um investimento de 80.000 euros num Parque de Merendas] As lealdades dos Presidentes da Junta não surgem do nada. Há presidentes e presidentes, uns são sempre contemplados, outros "ficam a ver navios": • No Paião (PSD), por exemplo, em 18 obras prometidas, realizaram-se 3! • Em Santana (PSD) foram prometidas 16 obras e só se fizeram 3! . Em Buarcos (PS) o complexo desportivo há 5 anos que está parado. Em São Julião (PS)