Mensagens

A mostrar mensagens de maio, 2011

Acidificação dos Oceanos - Ocean acidification is latest manifestation of global warming | Environment | The Observer

Os noticiários em Portugal não abrem com problemas ambientais sérios. Contudo, a acidificação progressiva dos Oceanos deve fazer-nos pensar. Como será a nossa vida se o mar deixar de nos dar peixe ? Que implicações tem um aumento da acidez em 30% num século ? Ocean acidification is latest manifestation of global warming | Environment | The Observer Ocean acidification is latest manifestation of global warming Carbon dioxide pollution adds to threat to world's oceans and marine species Robin McKie Robin McKie, science editor The Observer, Sunday 29 May 2011 larger | smaller Young teenage woman diver explorin coral reef By the middle of the century there will probably be only a few pockets of coral left, in the North Sea and the Pacific. Millions of species of marine life will be wiped out. Photograph: Vladimir Levantovsky/Alamy The infernal origins of Vulcano Island are easy to pinpoint. Step off the hydrofoil from Sicily and the rotten-egg smell of hy

Zé Cláudio Ribeiro vivia com uma bala na cabeça

YouTube - TEDx Amazônia - Zé Cláudio Ribeiro Nov 2010 (English subtitles) Foi assassinado pelos madeireiros... da próxima vez que comprar um móvel pergunte de onde vem a madeira ? quando comer um bife do Brasil, pergunte se o gado cresceu na Amazónia !

A Camada de Ozono e os indíces de UV

Recentemente ouvimos falar cada vez mais do indice UV (raios ultravioletas). O Instituto Meteorológico Português http://www.meteo.pt/pt/ambiente/uv/ apresenta informações concretas sobre a exposição dos vários distritos aos UV. Dois motivos para tal facto. Em primeiro lugar os problemas de pele (cancros) não páram de aumentar. [ Fonte Público: Todos os anos são registados, em Portugal, 10 mil novos casos de cancro de pele ] Uma das causas é a exposição solar "intermitente e irregular com escaldões". Outro factor prende-se com a destruição da camada de ozono. O filtro natutal da terra não está a funcionar, graças à ação do homem e aos CFCs. Sem camada de ozono a vida na terra seria simplesmente impossível dados os elevados níveis de radiação a que estaríamos sujeitos.

Atrvessar a passadeira com o sinal vermelho

A caminho da Escola da minha filha, observei uma jovem mãe a atravessar a passadeira com o filho, um miúdo de 5-6 anos. O cruzamento é movimentado e perigoso, tem pouca visibilidade e situa-se no alto da colina. Contudo, a mãe atravessa com o sinal vermelho para os peões ! O que pensará o miúdo ? Como atravessará sozinho a passadeira ? O que passa pela cabeça dos pais quando dão estes exemplos ? O que poderemos fazer para mudar esta atitude irresponsável dos portugueses e falta de respeito pelos próprios filhos ?

Qualidade do Ar

Imagem
No seguinte site da Agência Europeia do Ambiente pode observar-se a qualidade do ar, segundo diversos parâmetros.

Cobrar rendas , a DOMUS e a oposição local

A Figueira DOMUS é uma das empresas municipais mais endividadas do país. Tal deve-se à ação de elementos do PSD e dos 100%, entre 1999 e 2009, quando estiveram no poder que permitiram sucessivos desvairos, pelo menos até 2008. Nessa altura por proposta do dr. Vitor Sarmento a gestão da DOMUS foi profissionalizada. Até então, o ex-presidente Duarte Silva tinha colocado um destacado militante do PSD local (Azenha Gomes) na gestão da empresa municipal. A oposição às contas da DOMUS, e ao vereador Carlos Monteiro, baseia-se hoje em questões jurídicas laterais e de menor importância. Os factos estão aí: a Figueira DOMUS reduziu o passivo e há mais rendas a ser cobradas. Gasta-se menos na gestão corrente da empresa, otimizam-se os recursos. No tempo da gestão local do PSD, especialmente até 2008, nem sequer metade das rendas era cobrada devidamente. Claro que cobrar rendas...não dá votos a ninguém, mas Carlos Monteiro tem tido a coragem de o fazer. Parece que esta exoneração se deve à

Esquerda ou direita ?

Quando me perguntam se sou de Direita ou de Esquerda, respondo sempre: “Não sei. Eu quero é andar para a frente!”. Depois de algumas gargalhadas, a pessoa em face começa a mostrar uma expressão de perplexidade: “Como assim? Existe mais alguma coisa?”. Passo a explicar: ser de Direita ou de Esquerda é como ser médico e prescrever sempre a mesma receita, independentemente do doente. “Tem uma infeção? Tome antibióticos. Doem-lhe as costas? Tome antibióticos. Vê mal ao longe? Tome antibióticos. Está deprimido?”. Com a devida vénia publicamos aqui mais um excerto (já publicámos um) do livro "A Nossa Vez" de Hugo Penedones, que se pode ler na íntegra via RErumNatura

Estranha crise que não afeta o consumo nem algumas atitudes

Ouvindo as notícias e lendo os jornais sobressaem vários dados contraditórios, relativamente à crise: - Aumento de viagens aéreas (mais de um milhão de viagem em 2010) - Aumento em 200% do turismo na Madeira (são todos estrangeiros ? ), deve-se isto à primavera árabe ? - Aumento do consumo de bacalhau (mais 10.000 toneladas consumidas em 2010 relativamente a 2009). São os "ricos" que comem o bacalhau todo ? - Continuam a vender-se muitos carros novos (14.500 em Março de 2011) - Há poucas casas para alugar, e muitos proprietários recusam-se a passar recibo. E "afirmam mesmo...para quê ? para ganhar 350 euros por mês ? então não vale a pena ! - Não vale a pena ? Como ? Mais vale deixar a casa vazia a apanhar pó ? Não lhe faz falta o dinheiro ? - Um dos jornais cá da terra, traz na primeira página várias homenagens, louvores, medalhas de mérito, festas de tunas, reunião de Câmara sobre umas contecas da Paranova,....e a crise ? estará na produção excessiva de lixo ?

Reciclagem em Portugal

Imagem
A superação da atual crise económica passa em grande medida pela melhor utilização dos recursos. Entre nós, a reciclagem continua sem descolar, devido ao reduzido empenho de muita gente na separação na fonte, e dada a falta de visão de algumas entidades gestoras que promovem sistema de recolha complexos e pouco eficientes. Dá mais trabalho ir até ao Ecoponto do que colocar tudo misturado ali à porta de casa. Acresce ainda o facto dos munícipes, querem se empenhem e separem tudo, ou não o façam, pagam o mesmo (pelo menos na Figueira da Foz é ainda assim) ! Logo se pagam o mesmo, quem não separa o lixo (e assim age de forma anti-social) e não contribui de forma positiva para a economia do país, sente-se legitimado. É por aqui que devemos iniciar a mudança: introdução do Princípio Poluidor-Pagador.

Sacos de Plástico - o desperdício de recursos

A loucura consumista ocidental...500 sacos de plástico por ano, por habitante ! Each person in the 27-country European Union uses on average 500 plastic carrier bags per year – most of them just once. A total of 3.4 million tonnes of plastic bags, weighing the same as about two million cars, were produced in Europe in 2008. A União Europeia está a pensar em regular este enorme desperdício, e o problema ambiental associado, através de medidas legislativas. Refira-se que alguns países já baniram o seu uso (Irlanda, Hong Kong, Ruanda,...). in http://www.euractiv.com/en/climate-environment/commission-aims-slash-plastic-bag-use-news-504939?utm_source=EurActiv+Newsletter&utm_campaign=e3bece367f-my_google_analytics_key&utm_medium=email

Veículos poluentes fora da Baixa de Lisboa em Julho - Ecosfera - PUBLICO.PT

António Costa ! Grande . É Assim mesmo. Sempre que vou a Lisboa (de transporte público, inclui Metro, Comboio e Autocarro) noto que os transportes são muito bons, mas há pouca gente....os passageiros são mulheres, jovens e estrangeiros. Os "outros" vão de carro ! E depois dizem que não há transportes. Uma treta. Só "à bruta e com força" é que os portugueses abandonam o transporte individual. Veículos poluentes fora da Baixa de Lisboa em Julho - Ecosfera - PUBLICO.PT

O mar a desaparecer por detrás da areia....que se acumula

Imagem

A ver com atenção a ajuda à Grécia - Daniel Cohn-Bendit (legendado português) sobre ajuda econômica a Grécia

YouTube - Daniel Cohn-Bendit (legendado português) sobre ajuda econômica a Grécia

"Queremos tudo ao preço da uva mijona"

O pior problema é querermos tudo sem pagar o justo valor Muitas pessoas a quem a empresa Águas do Ribatejo cortou a água têm dinheiro para a pagar mas habituaram-se desde sempre a não o fazer, com a complacência das câmaras municipais. A água é um bem precioso e eu acho bem que não seja ao preço da uva mijona. Infelizmente há falta de consciência muito grande a nível ambiental. Sei de pessoas que esbanjam água só porque a podem pagar ou porque não fazem qualquer intenção de a pagar. Sei de pessoas que fazem gala em não fazer a separação dos lixos para reciclar e que depois protestam contra as taxas de resíduos sólidos. É tempo de todos nós percebermos que a situação em que está o país não é apenas da responsabilidade dos políticos. É de todos nós que achamos que o Estado e as câmaras têm que fazer tudo e mais algumas coisa e que não queremos pagar para isso ser feito. Enquanto cada aldeola quiser ter o seu próprio pavilhão desportivo, embora o mais próximo fique a um ou dois

Análise ao Memorando do FMI o imobilismo dos funcionários públicos

Opinião de Rui Fonseca, autor do http://aliastu.blogspot.com/ É pena que, em alguns pontos, não tenha ido ao cerne da questão. Por exemplo: É excessivo o número de funcionários públicos mas é, muito mais excessivo o número de funcionários públicos redundantes ou incompetentes. É absurdo, e toda a gente sabe que assim é mas nenhum político o ousa dizer em público, que a redução da função pública venha sendo sempre proposta através da substituição por um funcionário por cada 1+x que saiam. Não faz sentido nenhum que gente jovem, competente, qualificada, com vontade de trabalhar, tenha de aguardar que alguém morra, se reforme ou por sua vontade saia. Dos seiscentos e trinta e tal mil desempregados deste país nenhum é desempregado da função pública, são todos desempregados do sector privado. Porquê? Porque há cidadãos de primeira e de segunda neste país, também no que toca a garantia de emprego para toda a vida. Por que razão é que, praticamente, só os funcionários públicos ou de e

Facturas de energia mais caras podem cortar nos desperdícios, diz secretário de Estado - Ecosfera - PUBLICO.PT

Facturas de energia mais caras podem cortar nos desperdícios, diz secretário de Estado - Ecosfera - PUBLICO.PT “À medida que a energia eólica começa a estar mais robusta, devemos virar e canalizar esses apoios que vêm da tarifa, por exemplo para a energia solar, que é na minha convicção aquela em que Portugal tem mais potencial e futuro”, diz Humberto Rosa. Tem razão o Secretário de Estado Humberto Rosas !

EPE - Empresa Parque Escolar e os extraordinários custos energéticos

Quando vi o Liceu aqui da Figueira da Foz a ser intervencionado, nem queria acreditar: zero de investimento em eficiência energética, muito ar condicionado e luz decorativas !! Uma vergonha. Agora nem ligam o ar condicionado porque...não teriam depois dinheiro para pagar a conta à EDP. Técnicos portugueses ? Concerteza. A ruína do país também passa por aqui !

País nem sequer está em estado de choque como devia estar, diz Eduardo Lourenço - Sociedade - PUBLICO.PT

País nem sequer está em estado de choque como devia estar, diz Eduardo Lourenço - Sociedade - PUBLICO.PT

Dívida pública mundial

Imagem
As zonas a vermelho do mapa significam algo muito simples: vivemos a crédito no mundo ocidental. Devemos dinheiro aos nossos filhos e netos...Significa também que consumimos recursos muito acima das possibilidades do planeta. http://www.economist.com/content/global_debt_clock

Agenda 21 Figueira da Foz

Finalmente ! A Câmara Municipal da Figueira da Foz iniciou o processo da Agenda 21. Trata-se de promover acima de tudo a democracia participativa. Que problemas ambientais são importantes ? O que nos afeta ? Que Figueira queremos ter ?

Um mundo plano e sem graça - Abate de árvores na Estrada Nacional 114 entre Almeirim e Santarém

É verdade que já caíram alguns troncos em dias de maior temporal mas também há casas em Almeirim em risco de ruir e ninguém as manda abater. E também ninguém manda abater casas que aparentemente estão bem mas que podem vir a ruir numa altura de tremor de terra ...e não me digam que não estamos numa zona sísmica. Para não falar das telhas que voam em dias de ventania. Este fundamentalismo da segurança é, desculpem a expressão, um pouco pacóvio. Abatem-se certas árvores porque o pólen afecta as crianças com alergias. Abatem-se plátanos porque as folhas entopem os algerozes e as raízes estragam as canalizações. Fazem-se praças e largos muito modernos mas sem relvados nem árvores porque a manutenção é cara. É o primado do betão e do alcatrão. As poucas estradas onde ainda dá gosto circular são as que têm árvores. Para deserto e monotonia já bastam as auto-estradas que em termos ambientais são outro atentado ao cortarem a eito campos, vales e montes. O senhor vice-presidente da câmara de Al