Mensagens

A mostrar mensagens de março, 2009

Artigo - Falta Claridade à Figueira

Imagem
Artigo publicado na edição de hoje do jornal Diário de Coimbra Artigo também disponível no blog do autor - Ricardo Castanheira

Consumidor - Produtor de Energia

Imagem

Apagar as Luzes, Racionalizar o consumo de energia

Imagem
A maioria de nós quando vê um Monumento iluminado não pensa na emissão de partículas decorrentes da produção de energia nas centrais termoeléctricas a carvão. Nem pensa nas divisas (o nosso esforço e trabalho...) que saem do país para a importação de carvão, gás natural, fuel e compra de electricidade a Espanha e França (centrais nucleares). Muito menos se associa a construção de barragens à perda de paisagem, alteração dos rios, perda de biodiversidade...etc. Em 1991, no ano em que fiz o meu primeiro InteRail, estive em Praga durante uma semana. O Castelo de Praga, visível de qualquer ponto da cidade e um verdadeiro ex libris nacional, deixava de ser iluminado à uma da manhã. Subitamente o Castelo ficava escuro, quase desaparecia da paisagem nocturna. Como é possível uma cidade, que atrai milhões de turistas, apagar as luzes do seu Castelo ? É possível, e é bom que assim seja. O que me parece impossível é uma Câmara falida e sem dinheiro para reparar Escolas EB, não pensar em poup

Apoios da Câmara Municipal da Figueira da Foz. O caso Centrologis

Pode consultar aqui os apoios concedidos pela Câmara Municipal da Figueira da Foz no segundo semestre de 2008. Surpreendem os 85.172 euros para a CentroLogis Centro Logístico do Litoral – surgiu com o firme propósito de promover e liderar o projecto de implementação desta rede polinucleada de infra-estruturas logísticas, empresariais e serviços de apoio às empresas e aos utilizadores . De público e notório a CentroLogis organizou um seminário (ver aqui) ....ou seja, 85 mil euros num semestre com o seguinte fim declarado: # Apresentar publicamente a rede CENTROLOGIS a um leque alargado de actores regionais, nacionais e internacionais # Promover a interacção e a troca de experiências entre potenciais investidores e utilizadores futuros das diversas componentes da rede, em particular no que respeita às infra-estruturas logísticas e de localização empresarial existentes/em preparaçã o E os outros municípios (Cantanhede , Coimbra , Condeixa , Figueira da Foz , Leiria , Mealhada , Mir

Horta Biológica

Imagem
A família Obama abraça a modernidade e lança as sementes para uma horta biológica. As propostas dos Vereadores do PS neste sentido, introdução de hortas biológicas em vários pontos da cidade, foram presentes ao Executivo PSD na Câmara Municipal. Esbarraram na força numérica da maioria.

UTOPIA - Urbanismo - Arguido

Imagem
in UTOPIA Informação que consta da página da empresa UTOPIA - Arq. e Engenharia Lda. URBANISMO 04. Parque Urbano da Figueira da Foz Para o necessário financiamento de um parque a autarquia necessitava de obter capital através da promoção imobiliária. A nossa proposta permitia que a oferta imobiliária se localizasse em redor do parque sem o descaracterizar. Para isso desenvolvemos umas habitações totalmente revestidas com vegetação. No novo parque de Tavarede, as habitações surgem desapercebidas no interior do verde. PROJECTO, 2007 Com as correntes despesas sumptuosas da Figueira Grande Turismo e Câmara Municipal, a "utopia" de uma cidade arrumada e com qualidade urbanística parece eternamente adiada. Assiste-se ainda a algo inédito: os directores do Planeamento e Urbanismo constituídos arguidos em processos relativos ao Urbanismo, cujo responsável máximo é o Presidente Duarte Silva. Ele também arguido, mas no processo do Galante. ARGUIDO Wikipedia Português - A enciclo

130 MIL EUROS

FGT - 130 MIL EUROS NO 2º SEMESTRE Questionada sobre o programa do 7º aniversário se estender ao longo de três dias, uma novidade comparativamente a anos anteriores, Ana Redondo argumentou que o 7 "é um número mágico", recusando propósitos eleitoralistas nas actividades do segundo trimestre propostas pela empresa municipal, cujo orçamento aumentou quase 50 por cento, para 130 mil euros . "Acho que [o aniversário] devia ser realizado todos os anos, não é por ser [ano] de eleições", frisou. Negou ainda que a exposição "Revisitar 8 anos de Cultura", promovida pela autarquia e pela FGT no CAE e agendada entre 30 de Abril e 30 de Setembro, se destine a promover o trabalho da maioria social-democrata nos últimos dois mandatos. "É uma coincidência, só uma coincidência", declarou.

A impotência de Cassandra

Citando Rui Fonseca Quem ouve Medina Carreira, não pode deixar de pensar "Ora aqui está um tipo que tem a coragem de dizer a verdade!". Cada afirmação sua é uma fotografia rigorosa da realidade portuguesa. Medina Carreira não é o único fotógrafo das nossas mazelas colectivas (temos também o António Barreto, o Vasco Valente, o Pacheco Pereira, além de outros, e de todos os políticos quando estão na oposição). É citado e recitado. Diz alguma coisa de novo? Lamentavelmente, não diz. . E digo lamentavelmente, por duas razões: - primeira, porque por mais que se bata com a cabeça na parede, a parede não arreda pé e a cabeça fica traumatizada; a forma mais conveniente de ultrapassar a parede é pensar nas alternativas com que podemos ultrapassá-la, e a este respeito, Medina Carreira, como todos os outros, diz e faz muito pouco, quase nada. - segunda, porque a projecção repetida da mesma fotografia (resultante da impotência de mudar a realidade) leva à bana

Bom senso nas Finanças Municipais

Caso o princípio abaixo transcrito fosse aplicado ao Presidente da Câmara Municipal, e às dívidas acumuladas acima de um limite razoável de endividamento, o cuidado no uso de dinheiros públicos seria muito maior. Bastaria substituir "Administrador por Presidente da Câmara" na Lei e o país mudaria de uma dia para o outro ! in Acordão do Tribunal Constitucional O preceito análise, inserido nas disposições comuns do Regime Geral das Infracções Tributárias, sob a epígrafe “Responsabilidade civil pelas multas e coimas”, dispõe o seguinte: 1 – Os administradores, gerentes e outras pessoas que exerçam, ainda que somente de facto, funções de administração em pessoas colectivas, sociedades, ainda que irregularmente constituídas, e outras entidades fiscalmente equiparadas são subsidiariamente responsáveis: a) Pelas multas ou coimas aplicadas a infracções por factos praticados no período do exercício do seu cargo ou por factos anteriores quando tiver sido por culpa sua que o patrim

Director do Urbanismo da Câmara Municipal da Figueira da Foz foi constituído arguido

Segundo notícia publicada no jornal "Campeão das Províncias" o Director do Urbanismo da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Mário Maduro, foi constituído arguido.

Dia Mundial da Água - Vale do Galante

Imagem
A vala que atravessa o Galante, desde o início do Alto do Forno até ao Mar, está poluída. Cheira a esgoto. A pouca água que corre é negra. O lixo acumula-se nas margens. Restos de construção civil de alguns prédios em obras nas redondezas. Garrafas e sacos de plástico, latas, pacotes... irão desaguar inexoravelmente no Oásis. Tanto dinheiro investido em tantas coisas e não se consegue resolver o problema da poluição numa vala no centro da cidade ? Porquê ? Dificuldades técnicas ? Ligações clandestinas ? Ou mera falta de sensibilidade e vontade política ?

Cultura de concorrência

Imagem
(clickar na figura para ampliar) Há três anos que a CMFF tenta vender as lojas situadas na Esplanada Silva Guimarães, e segundo a CMFF os preços mínimos de venda mantêm-se inalterados desde 2005, apesar das alterações no valor de mercado dos imóveis. Sem sucesso, as lojas continuam devolutas. Na Reunião de Câmara, a 02.03, propus que a Câmara tentasse a figura do arrendamento, pelo menos no Verão conseguir-se-ia uma apreciável receita. Pedido recusado pelo Presidente Duarte Silva invocando o seguinte "a razão de nunca se ter avançado para o arrendamento está relacionada com o tipo acabamento que tem aqueles espaços, em que dificilmente poderia ser viável encontrar interessados, uma vez que teriam que fazer as obras necessárias para poder explorar" Isto é, menoriza-se e restringe-se a capacidade das empresas em ocupar o espaço sem o mobiliário definitivo. No entanto, há uma panóplia de empresas capazes de fazer render o espaço com paredes falsas, umas mesas e cadeiras....

Reunião de Câmara 16.03.2009 - Votação

Votação e 16032009 destaco os seguintes assuntos objecto de votação: 4.3.3 - Recurso hierárquico apresentado pela empresa que requalifica o Ramal da Pampilhosa relativo à emissão de licença especial de ruído. Com base no parecer jurídico favorável à aplicação das taxas, proveniente dos Serviços Jurídicos, a Câmara Municipal decidiu indeferir o requerimento e assim abrir o caminho à conflitualidade. Afirmou o Exmo. Presidente Duarte Silva que a Câmara nunca perdeu nenhum processo em Tribunal. Ponto final. A oposição votou contra dado a CMFF não ter nenhuma evidência objectiva acerca da emissão de ruído; não há queixas e a empresa actuou sempre de boa fé e fez medições. 4.3.4 ..Aprovação das cláusulas contratuais para o empréstimo de mais de 10 milhões de euros. A lista com mais de 200 páginas, das empresas e instituições a quem serão pagas as dívidas existentes, deverá ser tornada pública, tendo os Vereadores acesso a esses dados. Aprovado por unanimidade. 7.3.3. Revogação da d

Destaques da Reunião de Câmara 160309

Da ordem de trabalhos para a reunião de hoje 16032009 destaco os seguintes assuntos objecto de votação: 4.3.3 - Recurso hierárquico apresentado pela empresa que requalifica o Ramal da Pampilhosa relativo à emissão de licença especial de ruído. A empresa fez medições no local de obra e o ruído está abaixo dos valores exigidos por Lei. A CMFF afirma que a empresa, mesmo que não tenha emitido ruído, tem que pagar as taxas (cerca de 2.400 euros). O processo arrasta-se desde Maio de 2007, i.e. há 22 meses. Na primeira reunião de Março o Sr. Presidente retirou o processo durante a reunião e não foi votado. Não há queixas de moradores nem a Câmara efectuou quaisquer medições de ruído no local. 4.3.4 ..Aprovação das cláusulas contratuais para o empréstimo de mais de 10 milhões de euros. Interessa saber quais os critérios a aplicar no pagamento, a quem se vai pagar e porquê. O Sr. Presidente na última Assembleia Municipal assegurou que todos os fornecedores com créditos de curto prazo seri

Muro

Imagem
"Parede mais ou menos alta, e geralmente espessa, de pedra, cantaria, alvenaria etc., usado para cercar determinada área, servindo-lhe de proteção e/ou como divisa com relação ao exterior" Este muro é feio. Está torto e sujo. Serve de suporte a propaganda política, às touradas pagas pela Figueira Grande Turismo (por todos nós). Apresenta sinais de ruína precoce. Tem uma função duvidosa. Poderia ser pintado e arranjado, no mínimo. O ideal seria deitar abaixo e introduzir uma cortina arbustiva e arbórea. Embelezar a cidade deveria ser um desiderato, mas não é.

Duarte Silva e a Maya - correcção

Dado ter lido no blog Quinto Poder que aparentemente o Presidente Duarte Silva não recebeu a astróloga Maya, contrariando o noticiado pelo jornal as Beiras, resolvi retirar o respectivo post.

Microgeração - Painéis Solares Térmicos e Fotovoltaicos

Imagem
Figura: sistema de produção de energia fotovoltaica Na semana passada o jornal a Voz da Figueira noticiava o esforço de um grupo de jovens da Escola Cristina Torres. O objectivo é instalar painéis solares na Escola, angariando fundos e pedindo apoios. O que deveria ser uma tarefa institucional, do Ministério da Educação, passou a ser uma causa para um grupo de jovens. Esperemos que venham a ter os devidos apoios e que levem a sua iniciativa a bom porto.

Album Fotográfico custa 25.000 euros

Notícia aqui "o PCP de Bragança acusou o executivo camarário social-democrata d e gastar 25 mil euros dos munícipes num "álbum fotográfico" que faz o balanço de três mandatos autárquicos com 250 fotografias do presidente da câmara. "Um escândalo no contexto difícil que atravessamos" é como os comunistas classificam o dinheiro gasto na última edição do boletim municipal, que documenta a obra feita desde 1998 pelo executivo liderado por Jorge Nunes. "O PSD lançou a sua campanha eleitoral à custa dos munícipes", acusa o PCP em comunicado."

Foz Village - 12 anos depois

Imagem
A FOZ VILLAGE é um exemplo, entre muitos por esse país fora, de tudo o que o URBANISMO não deve ser. Uma das zonas potencialmente mais bonitas do concelho foi transformada num bairro fantasma. As infra-estruturas estão inacabadas ou abandonadas, emprestando a imagem real da incompetência na gestão da coisa pública. Hoje de manhã na ANTENA1, José Miguel Júdice falava da palavra inglesa accountability e como os portugueses (caso Magalhães, erros ortográficos) são incapazes de traduzir tal vocábulo em acções, i.e. parece que ninguém é responsável por nada. E o FOZ VILLAGE mostra exactamente a ausência de responsabilidade, a demissão de quem poderia fazer alguma coisa, congregar vontades e usar o poder que tem para resolver problemas tão básicos como a continuidade dos passeios... São anos de demissão os que vivemos presentemente. Empurram-se os problemas para o futuro..."estamos a tratar disso..." , "na Páscoa abre o Oásis..." para o ano....

Frente Norte (2)

Imagem
Estética ? Enquadramento ? Urbanizações com qualidade ?

Frente Norte

Imagem
Na frente norte da cidade, junto à Qta da Borloteira, desenvolvem-se mais uns loteamentos. Para quem ? Qual o custo benefício de mais uma colonização da vertente sul da Serra da Boa Viagem?

Cavaco Silva, o bruxedo, "Hexerei" e o desaparecimento do Afonso Tiago

Afonso Tiago é procurado pela polícia de Berlim, ver aqui. Surge como o primeiro da lista em Berlim, há mais de dois anos que ninguém desaparecia em Berlim sem deixar rasto. Os raptos e pessoas desaparecidas são na Alemanha uma raridade. Cavaco Silva diz à imprensa que as autoridades alemãs dizem não poder explicar muito bem o caso, então surge a palavra "bruxedo". Em alemão bruxedo é Hexerei que pode significar muitas outras coisas: azar (Pech); acidente (Ungluck); mau pressentimento (Boese Ahnung); enguiço (Quaelgeist). Tristemente Cavaco Silva utilizou a palavra "bruxedo" induzindo à conspiração e a sentimentos mais ligados ao misticismo. Que bruxa terá feito o infeliz Afonso Tiago desaparecer ? Será melhor consultar um astrólogo? Ou a Maya ? Temos o Presidente da República que merecemos ? Não poderia ter somente dito que este caso permanece um mistério, afastando os fantasmas associados ao "bruxedo" ?

15.395 euros do orçamento municipal

Imagem
CONSTRUÇÃO DA VARIANTE INTERNA DO PAIÃO - Câmara Municipal da Figueira da Foz - 700 metros de via - PROPOSTAS PAVIMENTOS O objectivo primordial de qualquer tipo de pavimento a utilizar em passeios de zonas semi-urbanas deverá ser o conforto e segurança pedonal. Associa-se a este critério a garantia de durabilidade e resistência. Frequentemente o parqueamento indevido por parte de veículos motorizados degrada o piso provocando sérias dificuldades à locomoção dos peões. Defendendo a qualidade do pavimento e respectiva regularidade propõem-se a execução do mesmo, na Variante Interna do Paião, em placas de betão em substituições da proposta do executivo que aponta a calçada (tipo portuguesa) como solução construtiva. Outros factores concorrem para a substituição: • Dificuldade de manutenção devido à aturada limpeza (ervas daninhas, arestas) • Encarecimento das obras de reposição e manutenção quando há degradação do piso devido a obras (saneamento, águas, electricidade) ou parqueamento de
Alertei a Câmara Municipal da Figueira da Foz, e o seu Presidente Duarte Silva, para a possibilidade de gerar riqueza através da microgeração. Foi há quase um ano atrás. Infelizmente Duarte Silva mostra uma insensibilidade chocante nestas questões do ambiente e energia. Nunca se interessou pelo assunto, sempre tentou ridicularizar a questão, entediando-se nas reuniões em que estes temas são abordados. Chega mesmo a abandonar a sala quando se discutem propostas capazes de poupar dezenas de milhares de euros por ano ao orçamento municipal, como por exemplo a introdução de tecnologia solar e LED nas luminárias das vias de comunicação. Mas, eis senão que uma Junta de Freguesia do concelho de Viana do Castelo, produz electricidade e vende à rede com inegáveis vantagens económicas. O Presidente de Junta local não foi Ministro, mas tem mais visão nesta matéria que o nosso Presidente de Câmara alguma vez teve nos últimos sete anos. Solar: Junta de Freguesia em Viana do Castelo vende energia

Ninguém Limpa a Terra de Ninguém

Imagem