Mensagens

A mostrar mensagens de novembro, 2010

Fábrica de Resinas - investigação

Segundo o jornal o Correio da Manhã as investigações à United Resins continuam  Ler mais aqui: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/fabrica-de-resinas-sob-investigacao

Campos de Arroz - Produtos regionais

Imagem
Nos campos de arroz do Baixo Mondego a labuta continua. O arroz local deveria ser mais promovido. Por exemplo, com a sua utilização obrigatória nas cantinas das escolas e lares. A quem compra a responsabilidade de implementar tais medidas. Quem vende poderá chamar a atenção para as vantagens ecológicas e económicas dos produtos locais, feitos e consumidos na região.

JM Júdice sobre Cavaco Silva

"Cavaco Silva fez um partido de consumidores e abdicou da bipolarização", afirma Júdice ao PÚBLICO, qualificando ainda o Presidente como "um grande político, que não é ideólogo, e que olha para a sociedade civil com uma certa suspeição". Entre 85 e 95, com duas maiorias absolutas, o então primeiro-ministro "aumentou o peso do Estado e apresentou-se como um líder autoritário, não permitindo a libertação da sociedade civil, como Sá Carneiro sempre defendera". Ou seja, "desperdiçou" 10 anos: "Teve poder e tinha dinheiro a rodos. Se o Estado tivesse emagrecido, se ele tivesse alterado a lei laboral e libertasse a sociedade civil, hoje estaríamos melhor." "Com Cavaco teria podido ser diferente", lê-se no final do livro. Não foi. in PUBLICO, 25.11.2010

Ainda o Quinto Poder ... e o contraditório !

Nas últimas semanas , o autor do Quinto Poder, blogue da nossa terra, dedicou-me amplo espaço, três longos textos. Para além de se vitimizar (coitadinho...),  Saraiva Santos diz que não tenho espírito democrático, capacidade de encaixe e que sou pouco educado. Mais uma vez o Quinto Poder comprova que não está interessado em discutir ideias, mas prefere atacar  pessoas. O Quinto Poder  vive muito de ideias feitas e preconceitos, se determinados políticos usam, ou não usam, gravatas, é um factor determinante... omitindo a discussão das propostas, e ideias concretas,  remetendo-nos para o Pai Natal ! O Quinto Poder aceita muito mal o contraditório e pior ainda o facto de haver alguém que ouse criticar os seus escritos e análises . Se há alguém que não tem caixa de comentários, não aceita nem publica críticas ao que escreve e gosta de "malhar" nos adversários, esse é o  autor do Quinto Poder.

Destruído bosquete à entrada da A14 em Santa Olaia

Junto à entrada da A14 (sentido Coimbra - Figueira), nó de Santa Olaia, concelho da Figueira da Foz, do lado direito existia um bosquete. Árvores de várias espécies, salgueiros, faias, ..etc.vários arbustos, alimentadas por um pequeno pântano faziam parte do cenário. As árvores alimentavam e propiciavam a existência de vários animais e muitos pássaros. De um dia para o outro, as máquinas varreram tudo. Não ficou árvore nem arbusto. O local ficou feio e sujo, terra queimada. Quem é responsável ? Porque é que cortaram tudo ? Quem está a "celebrar" o ano da biodiversidade desta forma, as Estradas de Portugal ? A concessionária da Auto Estrada A14 ? Quem será  que anda a gastar o nosso dinheiro a cortar árvores e a destruir a biodiversidade, ou terá havido uma razão forte para a destruição daquele nicho ecológico ? (a estrada não sofreu nada com as raízes das árvores, está como sempre esteve, aparentemente !)

Falta de sinalização ao solo

Imagem
Há meses (seis ?) que o cruzamento do Galo de Ouro não tem a sinalização devida. Faltam os traços, os semáforos não funcionam, os passeios foram esquecidos quando se requalificou a via.... Quantos meses mais vamos ter que esperar pelos traços e sinalização ? NOTA: fui informado que a responsabilidade desta obra é das Estradas de Portugal (EP).

Resposta ao Quinto Poder

RESPOSTA A SARAIVA SANTOS, AUTOR DO BLOG QUINTO PODER (a azul os meus comentários) Domingo, Novembro 14, 2010 O AMBIENTE NA FIGUEIRA , O DEPUTADO PUREZA E AS RECEITAS MILAGROSAS “....” Conheço, isso sim, o deputado e líder parlamentar Pureza. Conheço-o de o ouvir e ver nas televisões, intervindo e pregando na Assembleia da República. Muitas vezes a fazer chacota dos seus adversários políticos; Gostaria que me dissesse quando e onde ouviu JM Pureza a fazer chacota de adversários políticos ? Respondo-lhe eu, nunca ouviu Pureza fazer chacota porque tal não acontece.  Ouço [JMPUREZA] com frequência a dizer banalidades, acompanhadas por muita demagogia. Que banalidades ? Qual a demagogia ? São acusações gratuitas vagas e genéricas, como convém!   Por isso não tenho apreço político pelo deputado Pureza. Tenho algum por outros (poucos) deputados do BE. Ora, em minha modestíssima opinião, que não pode ombrear, nem de perto nem de longe, com a do prezado colega Ambiente Este tipo de sarcasmo

Tola (Gossweilerodendron balsamiferum; Agba) e outras madeiras tropicais, cada tábua conta

Em casa de pessoas conhecidas vi um móvel novo. Foi feito por um carpinteiro local. Perguntei qual o tipo de madeira usado. A madeira é exótica, a tola Gossweilerodendron balsamiferum ou Agba ), vinda de África (comércio ilegal ? legal ?). É uma espécie ameaçada de extinção, segundo a International Union for Conservation of Nature (IUCN), autoridade internacional em matéria de conservação das espécies. Talvez esta tola tenha vindo do Congo, um país devastado por uma guerra civil. O Congo perdeu 1,5 milhões de hectares de floresta entre 2000 e 2005 . Aquilo que era floresta, vida, beleza, biodiversidade foi reduzido...a tábuas. Móvel a móvel, milhões de móveis, e a ....floresta desaparece. E temos tantos materiais com menor impacto ambiental que poderíamos usar. Vejam o video com a assinatura de David Attenborough. Ancient forest destruction - Watch more Videos at Vodpod.

O Quinto Poder, o BE e as propostas de redução da despesa

O autor do Quinto Poder , Saraiva Santos, faz uma análise leviana às medidas propostas pelo BE, e em particular ataca e faz troça do deputado José Manuel Pureza, eleito por Coimbra. Faço já uma declaração de interesses: conheço pessoalmente e tenho elevada estima pelo Pureza desde há alguns anos. Saibam os leitores em primeiro lugar o que propõe o BE, dado que o Quinto Poder não o faz e por isso impede um julgamento cabal das ideias. Ver a notícia aqui "..."Em matéria fiscal "..." a limitação da dedução de prejuízos fiscais pelas empresas a 50 por cento do lucro tributável, alargar a tributação das mais-valias mobiliárias às SGPS e tributar em 75 por cento as mais-valias urbanísticas decorrentes de reclassificações de terrenos. De acordo com Pureza, só as «cinco principais medidas mais facilmente quantificáveis» do BE - «cortes em grandes agregados como consultorias, adopção do 'software livre', política de medicamentos; poupança fiscal justa, designadam

Perdemos todos com a extinção da Linha do Tua

O desaparecimento da linha do Tua, uma obra excepcional de engenharia devido à dureza do local escarpado onde foi construída em 1878 é um erro. O potencial turístico vai ser desbaratado. Aquilo que nos distingue de outros países, uma paisagem diversificada, natural e selvagem tem sido nos últimos 40 anos, está a desaparecer. O pior é que se trata de mais uma barragem que servirá quase exclusivamente para alimentar o nosso desperdício de energia. Ou numa outra perspetiva, serve para dar emprego temporário à indústria da construção civil e escoamento ao cimento que produzimos. Estamos a matar a identidade paisagística do país, dia após dia, colonizamos o território sem respeitar o património natural.

Cruzamento do Mercado sem semáforo

O Palhetas faz bem em denunciar a falta do semáforo junto ao Mercado. Bastaria um traço ao solo com a indicação de STOP e o próprio sinal de STOP para amenizar os perigos decorrentes da falta do semáforo do lado direito. STOP para todos (os da direita já tem) e seríamos todos obrigados a parar. Há muitas incoerências na gestão da sinalização e da mobilidade no concelho.

Despesas com a Iluminação Pública

Imagem
Acima publica-se uma análise realizada há alguns meses atrás sobre os gastos com a Iluminação Pública (IP) em vários concelhos do país, e ainda um alemão. Os dados foram coligidos pelo autor deste blogue. Observa-se que o consumo em IP na Figueira da Foz é elevado. Somente o concelho do Montijo supera a Figueira. Todos os outros, mesmo Sintra, estão muito abaixo dos valores locais. Será uma questão de mau planeamento da rede de IP ? Desleixo ? Relembra-se que a IP nos custa, a nós figueirenses, quase um milhão de euros por ano.

Iluminação decorativa de Natal, quanto nos custa ?

Várias Câmaras Municipais continuam a gastar mal, muito mal, o dinheiro dos contribuintes. Em Vila do Conde vão ser gastos 40.000 euros, Lisboa tem orçados quase 900.000 euros...além do consumo de energia que é pago pelas autarquias. Se cada município gastar em média 30.000 euros vezes 308 municípios são 9.240.000 euros (sim, mais de 9 milhões de euros só para iluminação decorativa de Natal...) A crise deveria servir para um sério reajuste de todas as despesas, "nossas" e "deles". Mas não é isso que se verifica, mas "nós" e "eles" continuamos o modus operandi de sempre: trocamos o essencial pelo acessório. E o dinheiro que Portugal precisa para investir é cada vez mais difícil de obter, e mais caro.

Traineiras naufragadas - autoridades marítimas atentas

Recebi um comentário sobre uma eventual fuga de gasóleo de uma traineira naufragada (abandonada?) na Figueira da Foz. Contactadas as autoridades (Capitania) fui informado que a situação está a ser monitorizada e que não há perigo de derrame de gasóleo. Uma nota de apreço pelo cuidado e profissionalismo da parte da Capitania na resposta dada às questões formuladas.

Novo Regime de Apoio à Microprodução de Energia

Imagem
O programa de microprodução, iniciado em 2007, teve um sucesso significativo, verificado na instalação de mais de 5.400 unidades de microprodução, correspondente a cerca de 19MW de potência instalada, em grande parte devido aos benefícios existentes e ao rápido retorno do capital investido. Este rápido retorno são 7 a 10 anos ! E os 19 MW de potência atribuída são reduzidos quando comparados com os 400 MW de uma central a gás. Esta última instalação custa aos portugueses a importação de gás da Argélia e a consequente saída de divisas. Contribui para o endividamento do país. A produção de energia fotovoltaica gera mais valias internas e contribui para um saldo energético positivo. Os equipamentos são importados da Alemanha, Espanha, China, EUA,...mas poderiam ser fabricados em Portugal se o mercado fosse maior. O Governo tem fomentado o investimento no setor eólico (grandes empresas) limitando fortemente a atribuição de licenças de microgeração (famílias,municípios e mesmo as PMEs)

Consumo de energia aumenta, apesar da crise

Notas soltas: 1) " O consumo eléctrico continua a subir, com um aumento já de 5,2 por cento entre Janeiro e Setembro de 2010, em relação ao mesmo período do ano passado. " - pela minha parte diminuiu: os interruptores cortam a energia aos aparelhos em "standby" permanente; router, modem e emissores de sinal de telefone são desligados à noite; o isolamento da parte superior da casa permite utilizar menos os aquecimentos elétricos; a ventilação natural no Verão ajuda-nos a não necessitar de ar não condicionado (não temos); a água que entra nas máquinas de lavar é pre-aquecida pelo painel solar; e claro as luzes, televisão, rádio,...quando não são necessários estão desligados. Os portugueses não sabem, ninguém os informa devidamente, mas entre 50 a 60% da energia eletrica que consomem é importada (carvão; gás natural; fuel; nuclear). A nossa necessidade de endividamento nasce daqui: importação de energia primária. Esta deveria ser uma prioridade do Governo: combate a

Ajudar o Hospital da Figueira da Foz

Um projeto do Hospital da Figueira necessita do nosso voto. Os profissionais desta instituição candidataram-se ao apoio de uma empresa privada com o seguinte objetivo: Promover a humanização durante o tempo de permanência no hospital das crianças, adolescentes e pais. Melhorar as condições de conforto para as crianças, adolescentes e pais. Vote aqui

Reportagem sobre os Dias da Governação

Reportagem no jornal As Beiras