6.2.08

Fraldas Descartáveis vs. Fraldas de Pano

Quando digo às pessoas que tenciono usar fraldas de algodão orgânico (sem pesticidas), especialmente aos pais de bébés e crianças pequenas, olham-me de lado, riem-se ...como quem diz , "Este é um utópico ! ".
Já nem me dou ao trabalho de argumentar muito.
Mas, e após muita pesquisa ainda não vi uma única vantagem ojectiva (saúde, ambiente) de se usarem fraldas descartáveis ...ou melhor, a única vantagem é o conforto e comodismo dos pais. Dizem-me, "Dá mais trabalho, não é prático...." Pois é. Claro que a contabilidade objectiva do tempo perdido (a ir ao supermercado, a comprar fraldas, o dinheiro gasto a mais, as vezes a mais que têm que ir pôr o lixo ao contentor...etc) não são contabilizadas. Poupam-se cerca de 1.000 euros por bébé se se optar por fraldas de pano (laváveis).
O que sinceramente me choca é a falta de consciência dos pais neste âmbito. Os piores venenos são aqueles que não se sentem nem se vêm, mas que muitas vezes estão dentro de casa na nossa cozinha e despensa. (ver artigo ). As fraldas descartáveis usam químicos agressivos (sodium polyacrylate)* - ler abaixo- para absorverem a humidade. Estes químicos são objectivamente uma ameaça à saúde do infante. Mesmo um estudo da Procter and Gamble de 1999, mostrou que estes químicos causam feitos adversos nos animais em que foram testados.
Quais as desvantagens objectivas das fraldas de algodão orgânico ?
Gasta-se mais algum tempo....ou existem outras que desconheço ?
Para já não falar do problema ambiental, aqui abundam as boas intenções, mas de concreto (e eu também me incluo) fazemos muito pouco em prol dos nossos filhos. Mudar de hábitos ? Não o fazemos ...estamos à espera que os políticos façam alguma coisa, como por exemplo encarecer as fraldas descartáveis aplicando o Princípio do Poluidor Pagador. Cairia o Carmo e a Trindade se o Sócrates se atravesse a tocar nas Sacro Santas fraldas descartáveis.
Não desejo ser um alarmista nem um apóstolo de que tudo o que é "industrial" é mau. Sei que a nossa sociedade, ocidental e rica, atingiu níveis de segurança e longevidade extraordinários graças ao progresso técnico-científico. Mas nem por isso deveríamos acreditar em tudo o que a sociedade de consumo nos impinge como bom e seguro. As fraldas descartáveis são para mim um sinal de comodismo e de desatenção dos pais para com os filhos, ignorando os riscos para a saúde deles, além de insensibilidade para com os problemas ambientais que eles vão herdar.

(1) - Chemicals in Disposables
Since your baby will spend so much time in diapers, let’s take a closer look at disposable diapers. On the market since the early 60’s, the disposable diaper changed from a plastic diaper with a lot of paper fluff to a diaper constructed of a waterproof plastic outer layer, an absorbent pad with super absorbent chemicals, and an inner liner. *The super absorbent chemical, sodium polyacrylate, absorbs and holds fluids in the diaper. This chemical has been linked to toxic shock syndrome, can cause allergic reactions, and is lethal to cats if inhaled. Death has occurred from ingestion of just 5 grams of this chemical.
* Pediatric journals contain reports of this chemical sticking to babies’ genitals. When the baby’s skin gets wet, this super absorber can poll fluids form baby’s skin.
Dioxin, the most toxic of all cancer-linked chemicals, according to the Environmental Protection Agency (EPA), is a byproduct of bleaching paper. Even in the smallest detectable quantities, dioxin has been known to cause liver disease, immune system suppression, and genetic damage in lab animals. Dyes found in some disposables are known to damage the central nervous system, kidneys, and liver.
The Food & Drug Administration (FDA) received reports that fragrances caused headaches, dizziness, and rashes. Problems reported to the Consumer Protection Agency include chemical burns, noxious chemical and insecticide odors, reports of babies pulling disposables apart and putting pieces of plastic into their noses and mouth, choking on tab papers and linings, plastic melting onto the skin, and ink staining the skin. Plastic tabs can also tear skin, and disposables may contain wood splinters.
References
1. The Landbank Consultancy Limited, "A Review of Procter & Gamble’s Environmental Balances for Disposable and Re-usable Nappies" (18 July 1991).
2. J. Tanino et al., "The Relationship of Perianal Dermatitis to Fecal pH," J Pediatr 54 (1959): 793-800.
3. B. Gaunder and E. Plummerm "Diaper Rash: Managing and Controlling a Common Problem in Infants and Toddlers," J Pediatr Health Care 1 (1987): 26-34.
4. Mothering Magazine Summer 1993. Pgs 37-48.

1 comentário:

  1. E já agora, as mulheres passarem a usar panos na altura da menstruação, em vez dos poluentes pensos higiénicos, também não?
    A intenção é boa mas não faz grande sentido...

    ResponderEliminar