14.11.08

Evolução da Construção - A Figueira da Foz um caso de estudo 2001 2008


CLICAR AQUI ou na IMAGEM para AMPLIAR (versão revista em 15.11.2008)
Os dados foram por mim compilados com base em informações obtidas junto do Departamento de Urbanismo após requerimento entre ao Sr. Presidente Duarte Silva em Abril de 2008.
O aumento do edificado conduz-nos nos últimos 20 anos conduz-nos a um excesso de alojamentos. Estes ficam abandonados, desqualificados ou simplesmente devolutos criando bairros fantasma, como é o caso do FozVillage em Buarcos.
Segundo o relatório que acompanha a Revisão do Plano de Urbanização, efectuado por uma empresa privada, em 2001 já existiam cerca de 15.000 alojamentos excedentes. Hoje serão mais, cerca de 19.000, dado o fraco crescimento populacional a contracção do mercado imobiliário e last but not the least a fraca qualidade do edificado. São loteamentos feios, sem identidade ou vida própria nem envolventes de qualidade, apenas a proximidade do mar e da Serra os poderá valorizar. Por todos estes factores conjugados a Figueira perde poder de atracção para mal dos que cá vivem que suportam os custos das infra-estruturas: electricidade, saneamento, manutenção de passeios e arruamentos, custos administrativos....etc. Impunha-se uma revisão séria e estruturada do PU, com estratégia e visão. Optou-se pela versão mais fácil, o Presidente Duarte Silva cedeu em toda a linha e pretende agradar a gregos e troianos com um documento que significa a continuidade do pior que se fez nos últimos 25 anos : especulação imobiliária, a Câmara a reboque dos promotores e construtores, i.e. o pato bravismo no seu máximo esplendor. É exactamente isto que queremos evitar nos próximos 10 anos (o PU vigora por 10 anos, concede direitos de urbanização até 2019....se for aprovado).

Dia 17.11 às 21h na Assembleia Figueirense assistir-se-á ao epílogo da discussão pública do Plano de Urbanização. O Sr. Presidente Duarte Silva irá lá estar para defender o status quo, nós também para propor alternativas.

Sem comentários:

Enviar um comentário