13.11.08

Revisão do Plano de Urbanização - "Não há critérios técnicos....."


A discussão pública do Plano de Urbanização (PU) para a Figueira da Foz continuou nos últimos dois dias, em Tavarede e Buarcos. O Sr. Presidente Duarte Silva a propósito do excesso de construção afirma o que todos sabemos e dizemos "O país (a Figueira da Foz*) não precisa de mais construção nos próximos 100 anos ..."
* - na Cova Gala disse Figueira da Foz, em Tavarede afirma que tinha dito "o país".
No entanto, o Plano prevê exactamente ....muito mais construção. Confrontados com esse aumento planeado das áreas urbanizáveis, os técnicos da CMFF não conseguem fazer as contas, não sabem qual a área bruta projectada nem nos justificam essa necessidade. Isto é , há mercado para tanto apartamento ? A quem se destinam todas as novas construções ? Ninguém sabe, o Presidente Duarte Silva não explica, apenas lança para o ar o estafado argumento da segunda habitação.
A técnica da CMFF, arquitecta paisagística, inquirida sobre os critérios pelos quais se guia o PU na atribuição do número de pisos, afirma que "Não há critérios técnicos...é assim mesmo", aqui são 4 pisos , ali 6 pisos....em Janeiro de 2008 ainda estavam programados 10 pisos para a zona do Caras-Direitas e do antigo quartel da GNR....uma gralha ! Agora são "só" 6 pisos para aquela zona. Imaginem 6 pisos naquela zona e a consequente intensidade viária. O PU não foi acompanhado de um Plano de Mobilidade, daí serem ainda mais pertinentes estas questões. Desconhecemos se as zonas de urbanização programada têm a necessária sustentação rodoviária. Trata-se de um Plano manco, como afirma a CCDR - Comissão de Coordenação, com graves falhas técnicas e sem apresentar qualquer tipo de estratégia séria. Propõe mais do mesmo: construção, expansão urbana e menos zonas verdes.

1 comentário:

  1. (...)A técnica da CMFF, arquitecta paisagística, inquirida sobre os critérios pelos quais se guia o PU na atribuição do número de pisos, afirma que "Não há critérios técnicos...é assim mesmo", aqui são 4 pisos , ali 6 pisos....em Janeiro de 2008 ainda estavam programados 10 pisos para a zona do Caras-Direitas e do antigo quartel da GNR....uma gralha ! Agora são "só" 6 pisos para aquela zona.(...).

    É bom que na Figueira da Foz tenhamos alguém, tecnicamente habilitado e politicamente empenhado, em esclarecer os municipes em geral e os fregueses em particular, das teias que, o binómio PODER
    AUTÁRQUICO/INTERESSE IMOBILIÁRIO, tecem.
    Obrigado por isso.

    Em relação ao caso em questão apetece questionar quais foram os critérios de responsabilidade política no respectivo e necessário enquadramento técnico.(?)

    E quais foram os critérios ténico/legais do enquadramento urbanístico nas suas vertentes ambiental, paisagística e de mobilidade, por parte dos técnicos responsáveis(?).

    É, também, caso para perguntar onde param os bons e velhos critérios de RESPONSABILIDADE e RIGOR nas suas vertentes PESSOAL, PROFISSIONAL, POLÍTICA e, em primeira intância, CÍVICA (?).

    Cova D'oiro
    http://edirol.blogs.sapo.pt/
    João Pita

    ResponderEliminar