9.12.09

Condutores embriagados

Lamentavelmente há concidadãos que não respeitam as mais básicas normas de segurança. Sucedem-se as tragédias nas estradas portuguesas.
Na Figueira da Foz , especialmente na zona norte do concelho, é muito raro encontrar uma brigada da GNR ou outra força de ordem que exerça a sua missão: prevenir que gente embriaga e sem carta conduza e coloque em perigo os demais que partilham a estrada.
Condutor embriagado em acidente que matou mãe e bebé
00h30m
EMÍLIA MONTEIRO



Condutor embriagado em acidente que matou mãe e bebé


O condutor do Mercedes envolvido no acidente que matou uma mulher de 33 anos e o filho de 18 meses, domingo à noite, estava embriagado. Só cinco horas após o desastre foi apresentar-se na GNR. Caso está a ser investigado.
Após a apresentação no quartel e realização do teste de alcoolemia, foi-lhe levantado um auto de contra-ordenação grave.

O acidente, que vitimou Elisabete Silva e o filho Martim, ocorreu na Via Inter-Municipal Joane/Vizela, na freguesia de Oliveira, Famalicão, às 21.40 horas. Mãe e bebé seguiam num Peugeot, que colidiu com um Mercedes. Só cerca de cinco horas após o choque é que o condutor do Mercedes, um homem de 50 anos, residente em S. Martinho do Vale, Famalicão, se apresentou às autoridades.

Nessa altura, nas instalações da GNR de Riba de Ave, efectuou um teste de alcoolemia e os resultados revelaram-se "muito acima do permitido por lei". "A quantidade de álcool é considerada grave e o processo vai agora ser tratado pelo tribunal", referiu fonte da GNR. Os contornos do acidente estão a ser investigados.

Apesar das duas mortes e da contra-ordenação grave que foi levantada, o homem pode continuar a conduzir, já que a lei não implica a apreensão da carta.

Na noite do acidente, o condutor só foi identificado horas após o choque. O homem deslocou-se à GNR, identificou-se e apresentou-se como estando envolvido no acidente, mas desconhecendo a morte de duas pessoas, segundo fonte da família.

Sem comentários:

Enviar um comentário