8.12.09

A fábrica dos sonhos, o Natal e o consumismo português

Foto publicada no jornal Público 08.12.2009
Hoje pode ler-se uma excelente reportagem da jornalista Ana Henriques, no jornal Público, sobre as compras de Natal dos portugueses. (ver extracto abaixo e o artigo completo aqui)
Estima-se que cada português gasta 390 euros em prendas !
E eu pensava que estamos em crise, há fome, miséria, milhares de pessoas a viver nas ruas por todo o país , desemprego a 10%....etc, e o país gasta 3.900.000.000 euros (três mi e novecentos milhões de euros) em prendas de Natal ? De onde vem tanto dinheiro ? Para onde vai ? Quem lucra com este consumismo destravado ? Como pode este país continuar a viver muito acima das suas reais possibilidades ? Haverá recursos naturais que aguentem tanto "lixo" e desperdício ?
Por mim, recuso-me a embarcar neste desvairo "mais e mais e sempre mais", limito-me a oferecer objectos "self-home-made", coisas que já não uso (livros, CDs, DVDs) e que os meus amigos e familiares poderão desfrutar e uma ou outra coisa do Comércio Justo.

Cortar nos gastos por causa da crise? Nem sempre. "Lá em casa não se faz muito isso, Natal é Natal. Talvez noutras épocas do ano..." Rita Mendes, de 19 anos, ainda não fixou o nome da escola do Lumiar, em Lisboa, onde começou este ano lectivo a frequentar o curso de Ciências Aeronáuticas. Mas na ponta da língua tem os nomes dos modelos das malas da Louis Vuitton que ela e a mãe hão-de receber este Natal, a mil e dois mil euros o exemplar, para depois emprestar uma à outra. O irmão não fica a perder: "Entre os jogos para a Playstation e um computador portátil novo leva sempre muitos presentes, para compensar as malas."
Até agora, a estudante gastou 500 euros em ofertas para os amigos: essencialmente perfumes e acessórios, como um cinto. "E ainda estou a meio das compras", diz."..."

Estima-se que este ano cada português vá desembolsar, em média, 390 euros com prendas de Natal.

Fonte: Ana Henriques, jornal Público de 08.12.2009

Sem comentários:

Enviar um comentário