7.3.10

Podas em Estabelecimentos Escolares - o triste caso da Silva Gaio


Correio do Leitor: Diário de Coimbra: 06.03.2010

As podas de árvores urbanas ornamentais continuam a deixar muito a desejar. Mesmo em meio escolar, onde leccionam professores de biologia e ciências, fazem-se asneiras próprias de pessoas incultas e incapazes de lidar com a Natureza.
Imagino, tal como o leitor do Diário de Coimbra, José Clemente que denunciou a situação, que a Escola Silva Gaio comemore todos os anos o dia da árvore. Mas, para quê ? Se intramuros se destrói o próprio património arborícola !

Pobre poeta Silva Gaio se visse o triste cenário actual...

Um conselho aos directores e professores da Escola: cortem as árvores desfiguradas e plantem novas; não vale a pena ter árvores atarracadas sem beleza e desvirtuadas pela acção humana, os alunos podem pensar que as árvores são assim mesmo, sem copa, sem ramos, só troncos nus...

1 comentário:

  1. Este é mais um exemplo onde a pouca sensibilidade pela natureza está bem patente! Penso que os responsávéis deveriam fazer formação na área e sem esquecer quem detém empresas de jardinagem, sob pena de perderem as licenças para tal , sendo sujeitos a fiscalização,processos e coimas, por tais actos, como se faz em certos países...

    ResponderEliminar