9.3.11

Furos em débito contínuo para regar relvados particulares

Observo com consternação que alguns particulares usam os furos para rega de forma descontrolada. Ontem à noite, apesar de estar a chover, um residente na freguesia de Alhadas regava abundantemente o relvado, a água era tanta que jorrava para fora da propriedade.
Desta forma esbanja-se muita água, que um dia mais tarde nos poderá fazer falta.
E fica provado, que quando a água é gratuita, os resultados são estes: desleixo e desperdício.

3 comentários:

  1. Este post fez-me lembrar o Verão de 2005, de grande seca e falta de água na nossa região!

    Na altura, o meu agregado familiar optou por apenas regar o quintal de 3 em 3 semanas, o mínimo para manter as árvores vivas e poupar a escassa água do poço...
    Paralelamente, um vizinho que tinha um furo (uns 30-40 metros de profundidade contra os 10 do nosso poço), regava quase todos os dias o quintal por rega de aspersão, em Agosto, das 11 às 15 horas da tarde...
    Foi revoltante ver tamanho desperdício de água e o nível do nosso poço a descer todos os dias, até secar... Nem pudemos utilizar o que poupámos... Sorte que no fim desse Verão a chuva regressou em força...

    Pergunto ao autor deste blog, que penso ser uma pessoa com alguns conhecimentos de Legislação Ambiental: - Nestes casos de puro desperdício irracional de centenas / milhares de m3 de água, que prejudicam a restante comunidade, não é possível apresentar queixa? Onde ou a que autoridade deve ser apresentada a queixa?

    ResponderEliminar
  2. Onde ou a que autoridade deve ser apresentada a queixa?

    Estou na mesma situação. O que faz o Sepna? manda parar com aquele desperdício?

    ResponderEliminar
  3. Repito o que escrevi:
    apresente a queixa ao SEPNA e à ARH.
    E conte-nos o seu sucedeu.

    ResponderEliminar