5.5.11

Um mundo plano e sem graça - Abate de árvores na Estrada Nacional 114 entre Almeirim e Santarém

É verdade que já caíram alguns troncos em dias de maior temporal mas também há casas em Almeirim em risco de ruir e ninguém as manda abater. E também ninguém manda abater casas que aparentemente estão bem mas que podem vir a ruir numa altura de tremor de terra ...e não me digam que não estamos numa zona sísmica. Para não falar das telhas que voam em dias de ventania. Este fundamentalismo da segurança é, desculpem a expressão, um pouco pacóvio. Abatem-se certas árvores porque o pólen afecta as crianças com alergias. Abatem-se plátanos porque as folhas entopem os algerozes e as raízes estragam as canalizações. Fazem-se praças e largos muito modernos mas sem relvados nem árvores porque a manutenção é cara. É o primado do betão e do alcatrão. As poucas estradas onde ainda dá gosto circular são as que têm árvores. Para deserto e monotonia já bastam as auto-estradas que em termos ambientais são outro atentado ao cortarem a eito campos, vales e montes. O senhor vice-presidente da câmara de Almeirim deveria ter outra postura nestas matérias.

João Silva Palácios


O Mirante Semanário online - 05-05-2011 - O Mirante dos Leitores - Abate de árvores na Estrada Nacional 114 entre Almeirim e Santarém

Sem comentários:

Enviar um comentário