18.2.14

A costa holandesa e as estradas na Praia de Buarcos


A estrada na praia

Há 20 anos atrás visitei um troço da costa holandesa, levaram-me“à praia”. O choque foi tremendo, a “praia” era uma sucessão de enrocamentos, muralhas e defesas contra o avanço do mar e na defesa da terra conquistada. Impressionou-me a fealdade do conjunto, parecia que estava num outro planeta, dominado pelo cinzento estéril do betão.

Em Portugal cerca de 15% da costa já está assim, artificializada.
Na Figueira, até meados dos anos 80, a costa ainda era natural, excluindo a zona imediatamente a
norte e a sul dos molhes. A praia do Cabedelo tinha areia e o mesmo se passava de Buarcos ao Cabo Mondego e não existiam “paredes de pedra e betão” entre o mar e a terra. Nos anos 90 surgiram as “vias estruturantes” aterrando-se a praia e transformando zonas mareais (e.g em frente às Muralhas de Buarcos - ver foto acima) em rodovias e parques de estacionamento, um absurdo completo.

Reafirmando o que escreveu Rui Silva neste espaço, sabemos que o mar vai “crescer” muito. O consenso científico existe quanto às causas: modificação no regime de agitação marítima, o aumento das tempestades são algumas das consequências das alterações climáticas.

Será prioritário aplicar estratégias de adaptação e mitigação das alterações climáticas, e redefinir as intervenções de ocupação e defesa da costa, neste momento destinadas a agradar às populações locais e aos agentes económicos. Caso tal não aconteça vamos ficar como a Holanda: extensos muros de betão nas zonas costeiras urbanizadas em vez de praia e dunas.

publicado no jornal As Beiras, dia 11.02.2014

1 comentário:

  1. A foto está invertida. Daí a perplexidade. Sabe o ano da foto?

    ResponderEliminar