16.2.14

Erosão na costa urbanizada do concelho da Figueira da Foz

A compreensão pelo que se passa na costa a sul do rio Mondego passa por perceber, de forma global e história, quais as causas do fenómeno da erosão costeira e alterações da geomorfologia.
O trabalho científico  de Dias, Ferreira e Pereira, de 1994, ajuda a compreender o que se passa. Transcrevo a introdução.

Estudo Sintético de Diagnóstico da Geomorfologia e da Dinâmica Sedimentar
dos Troços Costeiros entre Espinho e Nazaré


O CASO DA FIGUEIRA DA FOZ
10.1. INTRODUÇÃO

O caso da Figueira da Foz é muito semelhante ao de Aveiro, apresentado no capítulo anterior. Com efeito, em ambos os casos existe uma barra estabilizada com molhes longos, protuberantes para o mar, os quais interrompem a deriva litoral. Em ambos os casos verificou-se grande acumulação de areias a barlamar do molhe norte, e intensa erosão costeira na zona a sotamar, que colocou edificações em perigo (tendo, mesmo, destruído algumas) o que levou à implantação de obras pesadas de protecção costeira.




Sem comentários:

Enviar um comentário