Avançar para o conteúdo principal

Duarte Silva e Daniel Santos em 2002 - "A Figueira tem de continuar no Mapa"

Comentários

  1. É uma tristeza ver este tipo de artigos na Net.
    Quem sois vós meus meninos ao pé de uma personalidade como Duarte Silva. Um senhor, um político e um homem com projectos futuros para a Figueira da Foz, só pode ser atacado porque não liga a gente com orelhas grandes, ou seja, não liga a burros.

    ResponderEliminar
  2. Persiste a placa à entrada da Figueira "Futuro Parque Urbano", desde 2004/5. A dívida da CMFF subiu de forma galopante entre 2002 e 2009. As ruas estão esburacadas, as Juntas de Freguesia não têm dinheiro, o Castelo Engenheiro Silva desfaz-se ano após ano, mas....nós é que somos burros !? e não percebemos a magnitude das políticas de Duarte Silva...."e o burro sou eu ?" - já dizia Scolari !

    ResponderEliminar
  3. Permita-me corrigi-lo,João M.Vaz,mas a placa a dizer "Futuro Parque Urbano" já lá está hà pelo menos 10 anos, isto é, desde 1999 ou 2000!!
    Trata-se de um projecto sonhado por Santana Lopes, que infelizmente não chegou a concretizar-se... Ora, o actual executivo, de "tanto trabalho que tem tido",nem se deu ao trabalho de mandar retirar a placa... Terá dado por ela?

    ResponderEliminar
  4. Há tantos projectos e tantos sonhos que não passam do papel. Não podemos condenar as pessoas por não terem projectos. Temos sim de condenálos pela falta deles.
    a propósito o falecido Eng. Aguiar de Carvalho não teve o sonho do Aeroporto?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Alferes Robles, massacres de 1961 e a Guerra de Angola

Recentemente visionei novamente os primeiros episódios da série "A Guerra" de Joaquim Furtado. Para quem não viveu a guerra, o documentário é excelente, e segundo muitos que a viveram Joaquim Furtado fez um trabalho notável. Ouviu ambas as partes, procurou uma visão serena e equilibrada apresentando unicamente os factos comprovados.
(ver aqui o documentário "A GUERRA" de Joaquim Furtado, https://youtu.be/eytkjJXrmhA onde  várias testemunhas presenciais testemunham as atrocidades cometidas por ambas as partes)

Na sequência dos grotescos episódios que se seguiram aos massacres de 15 de Março de 1961, a UPA matou barbaramente quase um milhar de colonos (a maioria branco) e outros milhares de trabalhadores locais, os portugueses (brancos) desencadearam a retaliação. Matou-se por dá cá aquela palha, milhares de angolanos pretos foram chacinados sem qualquer razão. Há várias fotografias de valas comuns, iguais às nazis, e depoimentos que chegariam para levar alguns por…

Roxanne Bueso

Pintora Roxanne Bueso, residente na Figueira da Foz, proveniente de Porto Rico.

As obras em Buarcos e a destruição das árvores

Dificilmente se explica o pouco cuidado que houve com as árvores dos jardins de Buarcos, durante as atuais obras. Pelo contrário, o rolamento de árvores saudáveis parece indicar que os espaços verdes foram tratados por uma empresa de construção e ...não por quem sabe.
Lamenta-se a perda de árvores saudáveis.

Na Figueira da Foz continuamos a não ter uma política virada para o "ambiente"- isto é, sucedem-se as obras que pouco trazem em termos ambientais. O que temos é pouco mais do que "o mesmo" - muito estacionamento, muito espaço para o carro - e pouco espaço para "o verde", ou para o peão.