26.10.10

O Vortex de plástico no Oceano Atlântico - TRASH VORTEX


A situação não é nova: um mar de plásticos e outras substâncias não biodegradáveis no meio dos Oceanos, há meia dúzia de anos que o fenómeno tem visibilidade e é estudado pela comunidade científica.
Os relatórios e pesquisas revelam que os plásticos no mar funcionam como esponjas, absorvem e concentram substâncias tóxicas (especialmente os POP - poluentes orgânicos persistentes) e contaminam os animais que os ingerem.
O problema agudiza-se pela diminuição do tamanho das partículas de plástico, de milímetros a micrómetros, cada vez mais difíceis de "pescar" e eliminar do meio.

http://green.blogs.nytimes.com/2010/08/20/missing-plastic-in-the-atlantic/

Chemical sponge

There is a sinister twist to all this as well. The plastics can act as a sort of "chemical sponge". They can concentrate many of the most damaging of the pollutants found in the worlds oceans: the persistent organic pollutants (POPs). So any animal eating these pieces of plastic debris will also be taking in highly toxic pollutants.

The North Pacific gyre is one of five major ocean gyres and it is possible that this Trash Vortex problem is one which is present in other oceans as well. The Sargasso Sea is a well known slow circulation area in the Atlantic, and research there has also demonstrated high concentrations of plastic particles present in the water.

Sem comentários:

Enviar um comentário